Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Vencimentos atrasados (em 1909).

Correio do Povo do dia 6 de fevereiro de 1909 noticiava:

Falta de pagamento – Há dois mezes que o 1º regimento e os 2º e 3º batalhões da brigada militar não recebem os seus vencimentos.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo” – Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A logística, em 1917.

A Federação, no dia 02 de fevereiro de 1917, sexta-feira, noticiava:

Assistencia do Material da Brigada Militar

– O capitão Arlindo Franklin Barbosa, assistente do material da Brigada Militar, recebeu, hoje, no Thesouro do Estado a quantia de 12:356$666 para pagamento dos vencimentos dos officiaes do Estado-Maior, e 1:800$000 idem dos da Escolta Presidencial relativos ao mez findo.

– Convenientemente concertados nas officinas da Brigada, foram entregues: ao Deposito de Recrutas, 2 carroças de 4 rodas; ao Posto de Veterinaria, 1 dita; ao 3º Batalhão de Infantaria, 6 carabinas Mauzer e 1 carrinho de 2 rodas.

– O alferes commandante do destacamento do 2º Batalhão de Infantaria, no povoado do Picão, em Rocca Salles, communicou que recebeu, por intermedio da casa comercial dos srs. Fava & Toqui, a quantia de 2:329$300, liquido dos seus vencimemos e das praças do mesmo destacamento relativos ao mez de dezembro findo, de sua gratificação e das ditas praças relativa ao mez de novembro findo, tendo feito os respectivos pagamentos, sem novidade.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 029, de 02/02/1917, sexta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Pagamento dos vencimentos das praças do 2º Batalhão de Infantaria

A Federação, no dia 19 de janeiro de 1917, sexta-feira, noticiava:

Quantia Recebida – O alferes comandante do destacamento do 2º Batalhão de Infantaria, estacionado no Povoado do Picão, comunicou ao comando geral da Brigada Militar que recebeu, po intermedio da casa comercial dos srs. Fava & Toqui, a quantia de 100$000, que havia faltado para o completo dos vencimentos das praças daquele destacamento, relativo ao mez de novembro findo.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 017, de 19/01/1917, sexta-feira, página 5

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Vencimentos remetidos ao destacamento do 2º Batalhão de Infantaria, em Conceição do Arroio.

A Federação, no dia 04 de novembro de 1916, segunda-feira, noticiava:

Vencimentos remettidos – O alferes comandante do destacamento do 2º batalhão de infantaria, estacionado em Conceição do Arroio, comunicou ao comando geral da Brigada Militar que recebeu, por intermédio do sr. Oscar Gayer, a quantia de 2:249$520, importância de seus vencimentos e dos das praças do dito destacamento, relativos ao mez de setembro findo, tendo effectuado o respectivo pagamento sem novidades.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 257, de 04/11/1916, segunda-feira, página 5

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … –

A Federação, no dia 31 de outubro de 1916, terça-feira, noticiava:

Quantia recebida – O alferes commandante do destacamento do 2º batalhão de infantaria, acantonado no povoado do Picão, em Rocca Salles, communicou ao commando geral da Brigada Militar que recebeu, por intermédio da casa commercial dos srs. Fava & Toqui, a quantia de 1:030$100, liquido dos vencimentos a que tiveram direito as praças do mesmo destacamento, durante o mez de setembro findo, tendo effectuado o respectivo pagamento.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 253, de 31/10/1916, terça-feira, página 4

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Vencimentos de agosto são pagos no dia 22 de setembro

Correio do Povo, no dia 23 de setembro de 1909 noticiava:

Brigada MilitarO alferes João Baptista de Barros, que pertencia ao extincto 2 corpo provisorio, passou a servir como effectivo no 1 batalhão. As praças do 1 regimento de cavallaria receberam, hontem, os seus vencimentos, relativos ao mez de agosto findo. O major quartel mestre geral effectuou diversos pagamentos.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”