Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – O Policiamento na cidade de Porto Alegre, em 1918.

O Correio do Povo do dia 3 de fevereiro de 1918, domingo, noticiava:

O policiamento da cidade

Apesar das reclamações anteriores e das promessas de tornal-o efficaz, o policiamento continua a ser insufficiente, insignificante na parte central da cidade e nullo nos pontos mais affastados.

Para se desculpar esse mau serviço municipal tem-se dito que a zona da cidade é muito grande e que os recursos que o municipio possue para tal fim são pequenos. Estamos de accordo com a desculpa da administração municipal.

Não compreende, mesmo, como o governo do Estado não procure assegurar a população de Porto Alegre contra os malfeitores de toda especie, dotando a capital do Rio Grande de um serviço de policiamento compatível com a sua população de mais de 150 mil almas e notadamente progressista. Porto Alegre merece alguma coisa mais do que a nossa policia municipal ainda fardada como naquelles bons tempos em que o espadagão de quasi um metro de comprimento era o symbolo da ordem e da autoridade.

Por amor da nossa civilisação e da nossa cultura ha muito tempo já que se devia ter substituído o agente municipal mal pago, mal acertado na sua farda côr de periquito, pelo guarda civil correctamente vestido, sem o espadagão que aterrorisa os ebrios, apresentando-se em publico com a mesma linha de vestuário e limpeza dos demais habitantes da cidade.

O guarda civil não é só o mantenedor da ordem, o vigia da propriedade, é tambem um guia, um informador que a população tem quando necessita saber onde fica esta ou aquella rua, qual o bonde que serve para tal ponto, onde está localisada qualquer repartição publica, etc.

Fonte: Jornal Correio do Povo, Ano 123, nº 126, edição de sábado, 03 Fev 2018, página 15.

* Pelos automóveis que aparecem na imagem, deduz-se que a fotografia não é de 1918.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novos uniformes da Brigada Militar, em 1909

Correio do Povo, no dia 15 de maio de 1909 noticiava:

EXPOSIÇÃO AGRO-PECUARIA

Além da guarda de honra do Tiro Brazileiro, formará, por occasião da Exposição Agro Pecuaria, a 24 do corrente, o piquete do presidente do Estado e uma companhia do 1º batalhão da Brigada Militar. Essas forças trajarão o novo uniforme da Brigada. …

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novo fardamento da Brigada Militar. Em 1917.

A Federação, no dia 18 de janeiro de 1917, quinta-feira, noticiava:

Novo fardamento – A Assistencia do Material da Brigada Militar está habilitada a fornecer nos officiaes panno fino para o 1º uniformne, á razão de 17$000 o metro do panno extrangeiro o a 8$500 o do nacional.

Tambem fornecerá qualquer peça do novo uniforme e que tenha em arrecadação.

Os pagamentos serão feitos em prestações mensaes, variando de 2 a 5, conforme a importancia da divida contrahida.

Os commandantes de corpos farão recolher, por ordem do commando geral da Brigada Militar, os botões de latão do fardamento azul ferrete em uso, logo que as praças tenham recebido fardamento do novo plano de uniformes.

No novo plano de uniformes não haverá para os artífices distinctivos que assignalem sua classificação relativamente ao serviço nas officinas.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 016, de 18/01/1917, quinta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novo uniforme da Brigada Militar.

A Federação, no dia 13 de janeiro de 1917, sexta-feira, noticiava:

Novo fardamento – O commando geral da Brigada Militar determinou que o novo fardamento adoptado para aquella milicia entre a vigorar, para o pessoal aquartelado na capital, no dia 25 do corrente.

As praças, até nova ordem, conservarão a túnica e a calça do actual uniforme 5º para o serviço de faxina, cosinha, officinas, guia de vehiculos, trabalhos de campo, etc.

Os conductores, quando dirigindo vehiculos ou em serviço de campo, usarão chapéo do typo adoptado.
Aos recrutas, serão distribuídas tunica de brim mescla e calça de flanella do novo plano.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 012, de 13/01/1917, sexta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Uniforme dos Oficiais.

A Federação, no dia 10 de janeiro de 1917, quarta-feira, noticiava:

Cintos para Officiaes – O comando geral da Brigada Militar determinou, em boletim de hoje, que os officiaes daquela milícia estadual deverão ir á fábrica do sr. Carlos Julio Becker, a fim de tomar medida para os cintos adoptados para officiaes.

Todos os officiaes da Brigada deverão estar de posse dos referidos cintos, até o dia 24 do corrente mez.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 009, de 10/01/1917, quarta-feira, página 5

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novo Plano de Uniformes – II

A Federação, no dia 01 de novembro de 1916, quarta-feira, noticiava:

Uniformes da Brigada Militar – A convite do sr. Francisco Soares, alfaiate da Brigada Militar, fomos hontem, apreciar alguns uniformes do novo plano, mandados ultimamente a adoptar nessa corporação.
Ali vimos, entre outras, uma bellissima túnica de panno mescla que sobre ser de feitio simples e elegante, tem a grande vantagem de custar a metade do preço das que ainda estão sendo uzadas.
Numa mesma tunica póde-se conseguir dois números de uniformes, bastando apenas substituir as platinas de panno pelas de metal e accrescentar os galões.

A calça que é do mesmo panno da tunica, tendo uma listra garance em cada perna, é unica para todos os números de uniformes e fica de grande effeito, uzada com a túnica de brim mescla.

O gorro, da mesma cor que a túnica e a calça, com listra garance e galão dourado, tendo á frente as armas de trinta e cinco, semelhante ao que está sendo uzado no Exercito, custa menos da metade do preço dos actuaes e são confeccionados com muito esmero.

Para avaliar-se da vantagem da adopção desse plano de uniformes, basta que se saiba, que só em janeiro do anno vindouro, por occasião de serem pagos os novos uniformes faz a Brigada Militar a economia de oitenta e poucos contos para os cofres do Estado.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 254, de 01/10/1916, quarta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novo Plano de Uniformes – I

A Federação, no dia 17 de outubro de 1916, terça-feira, noticiava:

BRIGADA MILITAR

NOVO PLANO DE UNIFORMES

O commandante geral da Brigada Militar, tenente-coronel Affonso Emilio Massot; fez baixar hoje, a seguinte ordem do dia, modificando os typos de uniformes da Brigada Militar:

Ordem do dia n. 104 — Para conhecimento e devida execução publico o seguinte:

PLANO DE UNIFORMES – Considerando que a Brigada Militar usa vários, typos de uniformes para officiaes e praças que não se harmonisam nas côres; que a despeza com esses uniformes vae além do necessário para que a força ande bem fardada; que a adopção de uma unica côr e tactica para os uniformes de todas as armas tanto para o tempo de paz como para o de guerra é ideia vencedora entre os exercitos europeus em lucta e já posta em pratica como resultado da experiencia; considerando mais que a côr mescla satisfaz plenamente sendo tactica por excellencia, como
está verificado na nossa força, em exercicios de campanha, propoz este commando ao exmo. sr. general vice-presidente do Estado, em exercício, fosse essa côr adoptada para os uniformes dos officiaes e praças e alterado o plano actual reduzindo-o de muitas peças, tornando-o mais simples, ao mesmo tempo que mais economico.

A Secretaria de Estado dos Negócios do Interior e Exterior, por officio n. 1128 de 6 do corrente, communicou ter sido adoptado o plano de uniformes proposto, que publico para os devidos fins, devendo entrar em vigor no próximo anno de 1917.

PARA OFFICIAES

1º – Gorro redondo, tunica de panno mescla com platinas de metal amarello, calça de panno mescla, espada com bainha de metal branco, fiador de couro preto envernizado, com guias de couro preto envernizado, luvas marron e cothurnos de couro preto.

2º – Tunica de panno ou flanella mescla com platinas postiças da mesma fazenda, calça de panno ou flanella mescla, e as demais peças como no 1º uniforme.

3º – Tunica de brim mescla; as demais peças como 1º uniforme.

ESPECIFICAÇÕES
Gorro
– Modelo considerado universal, confeccionado em panno mescla com uma cinta garance de 0m,05, pala côncava ou curva de sola envernizada, typo búlgaro, com 0m,05, na maior largura, jugular, de sóla envernizada presa por botões dourados pequenos; distinctivos do posto em soutache dourado colocados sobre a cinta, a partir de cima para baixo ; o emblema das armas de 35 na frente ao centro, disposto de maneira a ficar metade occupando a cinta e a outra metade acima desta ; abaixo do emblema e ao centro da cinta o numero ou distinctivo da unidade.

Tunica –  Fechada na frente por oito botões dourados, grandes, com duas portinholas de 0,m 11 de comprimento, com tres bicos, abotoadas por um botão dourado, pequeno e collocadas sobre bolços no peito, uma á direita e outra á esquerda, na altura da terceira casa; gola de panno garance avivada de cadarço preto com trapesios de panno ou flanella mescla de 0,m07 dr comprimento e sobre estes o distinctivo da arma; nas mangas um vivo garance; contornando os punhos, e uma carcella de 0,m 10 de altura, com tres bicos de 0,m 02 de largura e tres botões dourados pequenos; ao lado uma abertura de 0,m 20 para a espada pelo systema em uso. Somente as do 1º uniforme terá nos punhos o distinctivo do posto, em galões dourados; a do 3º uniforme será abotoada por botões encobertos, não terá vivos nem carcella, sendo a golla do mesmo brim mescla, terá quatro bolsos de chapa por fora levando os dois de cima a portinhola de bicos, fechada por um botão dourado.

Calça – Com uma lista de panno no garance, de 0,m 025.

Platinas – De metal amarelo do modello em uso, com um vivo garance para o 1º uniforme; para o 2º e 3º, de panno ou flanela mescla, sobro uma chapa com 0,m 12 de comprimento, tendo na ponta junto á gola um pequeno botão dourado; ao centro as armas de 35 e em seguida as divisas do posto em soutache dourado collocadas em forma de angulos.

Cothurnos – Cano mole de 0,m 30 de altura, de couro preto para todos os uniformes. (Continua).

PARA PRAÇAS

1º – Gorro redondo, túnica e calça de panno de flanella mescla, cothurnos.

2º – Gorro redondo, tunica de brim mescla, calça de panno ou flanclla mescla e cothurnos.

ESPECIFICAÇÕES

Gorro – Modelo egual ao dos officiaes, emn panno mescla, com a cinta garance e a pala preta envernizada ambas das mesmas dimensões da dos officiaes; o emblema das armas de 35 e o numero ou o distinctivo da unidade colocados semelhantemente aos daquelles; jugular de couro preto envernizado presa aos lados por botões pequenos, amarellos.

Tunica – Do 1º uniforme será do modelo egual a dos officiaes, sem bolsos e com as platinas da mesma fazenda, avivadas de panno garance; dois passadores do mesmo panno ou flanella, reforçados de couro, interiormente, para susterem o cinturão na altura da cintura e presos cada um na parto superior por um pequeno botão amarello; no trapesio da gola o distinctivo da arma; a do 2º uniforme terá os botões encobertos e a gola, da mesma fazenda, sem vivos, nem carcellas; os botões dos passadores serão pretos; o mais, como na do 1º uniforme.

Calça – De panno ou flanela mescla, systema culotte com uma listra de panno garance do 0m,25.

Cothurnos – O mesmo typo adoptado para os officiaes.

Capote – Será de panno alvadio, para officiaes e praças e para todas as armas; fechado na frente por cinco botões amarellos, gola deitada, capuz, presilhas na cintura e uma abertura atraz, até a cintura.
O de official terá dois bolsos verticaes, sendo o do lado esquerdo aberto para a espada; o çapuz preso por cinco botões pretos pequenos com as armas de 35; as presilhas abotoadas por dois botões dourados, grandes; a abertura com quatro botões encobertos; nos punhos os distinctivos do posto em “poly-soutache” dourado, pregados na folha de cima, em forma de angulo, tendo ao centro 0m,12 e nas extremidades 0m,09. O de praça terá o capuz preso na gola, as presilhas com dois botões amarellos, a abertura com tres botões encobertos; dois passadores do mesmo panno reforçados de couro para susterem o cinturão na cintura; sorá forrada de flanella azul até a cintura e levará um bolso por dentro; distictivos do posto como em uso, collocados conforme está determinado. Tudo de accordo com o modelo archivado.

Dragonas – Typo em, com vivo garance.

Botões – Com as armas de 35, dourados para os officiaes e de latão para as praças.

Distinctivos – Os da arma e unidade serão os mesmos em uso presentemente. Os officiaes dos Serviços auxiliares usarão os mesmos distinctivos do Estado-Maior.

Os officiaes e praças da Escolta Presidencial usarão as lanças cruzadas com bandeirolas no trapesio da gola e no gorro, abaixo do emblema.

Os sargentos instructores usarão o distinctivo de infantaria e os cabos ordenanças dos serviços auxiliares os da cavallaria.

Os distinctivos serão:

Em metal branco para os officiaes e em metal amarelo para as praças.

Divisas – De panno garance sobre um fundo de panno mescla com a fórma e dimensões já estabelecidas; os sargentos ajudantes e quartéis mestres usarão o globo do typo adoptado.

Emblema – Com as armas de 35, do tamanho em uso no kepi das praças, sendo de metal branco para
os offíciaes e de metal amarelo para as praças.

OBSERVAÇÕES:

Os officiaes, quando montados, usarão esporas de metal branco, do typo adoptado.

As dragonas só serão usadas em logar das platinas em dias de festa nacional ou estadual e em actos militares, quando for determinado, em actos civis, nos que por sua solennidade as exijam, devendo ser, nestes casos, dourado o fiador da espada.

As luvas de cor marron são as normaes para os officiaes em todos os uniformes; usal-as-ão porém, de cor branca, quando estiverem de dragonas e, de fio de escocia, também brancas, nas guardas de honra. As praças usarão luvas de algodão, brancas, nas guardas de honra e nas paradas, quando fôr determinado.

O cothurno será de verniz, para o official quando de dragonas e em todos os actos solennes que compareçam em 1º uniforme, sendo facultativo nos demais casos com este uniforme.

É facultativo aos officiaes quando não estiverem em serviço e fora dos quartéis o uso da botina.

É mantido o cordão dourado para o ajudante de ordens do Presidente do Estado, assistentes, secretario e ajudante de ordens do commando geral, ficando suprimido o cordão kaki.

Supprimem-se o caki de panno, as perneiras e polainas para officiaes e praças, as dragonas e platinas de metal para sargentos ajudantes e quartéis mestres.

Os sargentos ajudantes e quartéis mestres usarão os uniformes confeccionados de modo egual aos dos officiafs substituindo-se apenas os distinctivos do posto.

Os inferiores poderão usar em passeio e actos civis o 1º uniforme com botinas, botões dourados eguais aos dos officiaes confeccionadas a tunica e calça como as destes para o uniforme 2º.

(Assignado) Affonso Emilio Massot, tenente-coronel.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edições 241, de 17/10/1916, terça-feira, pág. 5 e 242, de 18/10/1916, quarta-feira, pág. 2