Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Aniversário de criação do 3º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar, em 1917 – II

O Correio do Povo, no dia 21 de julho de 1917, sábado, noticiava:

Anniversario de um batalhão – Como noticiamos, o 3º Batalhão de Infantaria, da Brigada Militar, festejou, hontem, a passagem do 24º anniversario de sua organização. Por esse motivo, o rancho foi melhorado às praças, sendo, também destribuidos doces ás mesmas.

Foram, também, postas em liberdade todas as praças que se achavam presas por crimes correccionaes.  Á tarde, o coronel Affonso Emilio Massot, commandante geral da Brigada, esteve no quartel do 3º batalhão cumprimentando o seu commando pela passagem da data. Á noite houve sessão de cinematographo, que foi muito concorrida.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Aniversário de criação do 3º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar, em 1917 – I

A Federação, no dia 19 de julho de 1917, quinta-feira, noticiava:

Anniversario de um batalhão –  Passa amanhã, o anniversario da organização do 3º Batalhão da Brigada Militar.

Nesse quartel, que fica localizado á Praia de Bellas, haverá, entre outras festas, uma exhibição de fitas cinematographicas, constando o programma dos seguintes “films”: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª partes – “Nas fronteiras Italo-Austriacas” (actualidade); 8ª parte “Coisas de Leoncio”; 9ª, 10ª e 11ª partes “A Russia na guerra” (actualidade) .

Fonte: A Federação, Anno XXXIV, Edição 168-A, de 19/07/1917, quinta-feira, pág. 6. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Canção Marcial em homenagem a Bento Gonçalves, em 1914.

A Federação, no dia 03 de julho de 1914, sexta-feira, noticiava:

BRIGADA MILITAR

Hymno Bento Gonçalves – Canção Marcial

Procurando desenvolver o mais possível a instrucção entre os corpos da Brigada Militar o seu commandante, nosso amigo coronel Cypriano da Costa Ferreira organizou, ha tempos, um concurso de tiro ao qual deu o nome do legendário Bento Gonçalves, conforme antecipamos.

Pouco depois começaram na linha do tiro d’aquella corporação, na Chacara das Bananeiras, as provas referentes ao mesmo e a victoria coube á 1ª companhia do 3º batalhão.

Conforme o regulamento este corpo receberá o busto do heroico farroupilha, que será collocado no alojamento d’aquella companhia.

O acto, que se revestirá de solemnidade, effectuar-seá no dia 20 do corrente, anniversario da organisação do citado corpo.

Por essa occasião será cantado o hymno que abaixo publicamos, letra do festejado poeta patrício Zeferino Brazil e musica do conhecido maestro, alferes Pedro Borges.

Hymno Bento Gonçalves

GRUPO

O Chefe Farropilha,
o genio, a luz da guerra,
assombro foi da terra,
do pampa e da coxilha.

I

No seu corcel fogoso,
quando Elle apparecia,
o inimigo temeroso
ao seu valor fugia.

O Chefe Farropilha,
etc.

II

A espada rutilava
ao sol da ingente luta,
e o bravo, que passava,
vencia a força bruta.

O Chefe Farropllha,
etc.

III

Foi Elle, dos sagrados
ás forças combatentes,
honrado, entre os honrados,
valente, entre os valentes

O Chefe Farropilha,
etc,

IV

Contrario ao mal, ao esbulho,
foi guapo entre os mais guapos,
da Patria foi orgulho
e gloria dos Farrapos.

O Chefe Farropilha,
etc.

V

A Patria agradecida
sobre Elle o amor espalma
— Vida, que lhe deu vida,
Alma, que lhe deu Alma.

 

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 155, de 03/07/1914, sexta-feira, pág. 1. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Revista aos Corpos da Brigada Militar e desfile, em 1914

A Federação, no dia 08 de maio de 1914, sexta-feira, noticiava:

Brigada Militar — Formatura em parada

Com um effectivo de 1035 homens, constituindo 3 Batalhões de Infantaria a 4 Companhias e 1 Regimento de Cavallaria a 4 Esquadrões, formou em parada para revista no Campo da Redempção, hontem, ás 14 ½ horas, em uniforme 4º, conforme fôra determinado em detalhe do serviço, a Brigada Militar do Estado.

A força formou em linha desenvolvida, a cavallaria em batalha, occupando toda a extensão que vae pela avenida Sant’Anna desde o Collegio Militar, onde se apoiou a direita occupada pelo 1º Batalhão de Infantaria, até as immediações do Instituto Technico Profissional, onde se achava a esquerda da cavallaria.

De armas descançadas, com o intervallo entre si de 30 passos, aguardavam os corpos a chegada do commandante geral para prestar-lhe a devida continência.

A’s 14 1/2 horas em ponto approximava-se da força o coronel Cypriano Ferreira e seu Estado-Maior e ao distar 50 metros do centro da linha, todos os Corpos, da direita para a esquerda, fizeram braço-arma e apresentar-arma.

Correspondendo á continência com a mão direita, assumiu o Coronel Cypriano o commando da tropa em parada, fazendo os Corpos em seguida braço arma.

Teve, então, inicio a revista.

O Estado-Maior collocou-se á direita de toda a linha e o commandante geral percorreu toda a força da direita para a esquerda, tocando a Banda de Musica de cada Corpo um dobrado quando esta antoridade se approximava 10 metros do flanco direito, sendo ali recebido pelo comandante, que o saudava e acompanhava do lado exterior até 10 metros além do flanco esquerdo, quando a musica deixava de tocar, regressando o commandante ao seu lugar, após nova saudação de espada.

De modo semelhante procederam todos os Corpos á passagem do commandante geral pela retaguarda.

Terminada a revista mandou o commandante geral descançar-arma, fazendo em seguida, por intermedio do assistente do pessoal e ajudante de ordens, chegar suas determinações aos comandantes de Corpos.

Teve lugar, então, o desfilamento, a infantaria por pelotões e cavallaria por quatro, seguindo toda a força pela rua da República, Campo da Redempção, Praças Independencia e Conde de Porto Alegre, ruas Duque de Caxias, General Canabarro, Andradas e Independencia até a Praça D. Sebastião.

Ao enfrentar ao Palacio do governo, achando-se em uma das janellas o dr. presidente do Estado, a tropa prestou-lhe as devidas continências marcadas na tabella.

Na praça D. Sebastião, determinou o commandante geral o deslocamento das forças, a seus quartéis, tendo a mesma autoridade recebido de cada Corpo que se retirava a continência regulamentar.

O asseio da tropa, quer quanto ao uniforme, quer quanto ao armamento ou arreiamento, nada deixou a desejar, e a firmeza com que se apresentou na parada e o garbo e desembaraço que demonstrou na marcha, effeito de um treinamento methodico e continuo, mereceram louvores.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 107, de 08/05/1914, sexta-feira, pág. 5. *Mantida a grafia da época

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – O Quartel de Infantaria da Brigada Militar, em 1911

Correio do Povo, no dia 26 de abril de 1911, noticiava:

Quarteis da Brigada

O major Israel Azambuja, funccionario da Secretaria das Obras Publicas e encarregado dos reparos no quartel do 3 batalhão da Brigada Militar, já os ultimou.

– Em meados de maio proximo, o 1 regimento de cavallaria dessa milicia transferir-se-a para aquelle quartel.
Os 2 e 3 batalhões passarão a occupar o grande edificio á praia de Bellas, cujas obras se acham quasi concluidas.

Quartel da BM Praia de Belas - Para o Blog 26 04 2017

Foto publicada junto à notícia do Jornal Correio do Povo

Para o Blog - 26 04 2017

Foto publicada no Álbum comemorativo dos 30 anos de Criação da Brigada Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Comemorações de 21 de Abril na Brigada Militar, em 1914 – I

A Federação, no dia 21 de abril de 1914, terça-feira, noticiava

Prelecções sobre 21 de Abril — Conforme publicámos, fazem prelecções, hoje, ás 9 horas, ás praças de seus respectivos corpos, o capitão Accacio de Almeida e o alferes João Pinto Guimarães, o 1º pertencente ao 3º batalhão da Brigada Militar e o ultimo ao 1º batalhão da mesma força.

Hontem, vespera da data a commemorar, fallaram no 2º batalhão o tenente Vicente Landell dos Santos e no 1º regimento o alferes Apparicio Gonçalves Borges.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição nº 092, de 21/04/1914, terça-feira, página 5. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A Instrução na Brigada Militar, em 1915.

A Federação, no dia 17 de abril de 1915, sábado, noticiava:

Exercícios na Brigada Militar

1º período de Instrução – 4ª parte

– Dia 16, 6ª feira –

INFANTARIA

Batalhão na semana de exercícios: 2º batalhão de infantaria.

Deixou do ir à Linha de Tiro, devido ao máo tempo, realisando-se unicamente os trabalhos do 2º tempo – instrucção theorica e moral, assim se fazendo no 3º tempo.

Batalhões na guarnição: 1º batalhão.

1º tempo – prejudicado pelo serviço de guarnição.

2º tempo – instrucção theorica e moral nas companhias.

3º tempo – exercício de signaleiros.

O commandante do corpo reuniu os officiaes para uma palestra militar, versando sobre “fortificação rápida”.

3º Batalhão – Montou a guarnição.
1º tempo – Movimentos livres de gymnastica.

CAVALLARIA

Escolta Presidencial – Tiro individual na Linha do Tiro.

METRALHADORAS

O grupo de metralhadoras realisou os seguintes trabalhos:

1º tempo – gymnastica com arma a um braço, manejo de fogo (clarins) e marcha de 30 minutos.

2º tempo – Theoria do tiro: justeza, rapidez, posições, grupamentos; noções de organisação do Exercito e da Brigada Estadual.

3º tempo – Manejo da peça, remuniciamento, evoluções de secção e marcha de 60 minutos.

Trabalhos diversos

No corrente mez estão indicados para prelecções medicas nos corpos e unidades especiaes o capitão medico dr. Silva Fróes; para exercicios de padioleiros no 1º batalhão o dr. Antenor Granja de Abreu, no 2° batalhão o dr. Antonio da Silva Fróes e no 3º batalhão o dr. Raymundo Bello Barbedo, todos medicos da força; para prelecções sobre hygiene odontologica o alferes dentista dr. Mario Carigé Gomes da Silva e para prelecções veterinarias no grupo de metralhadoras e escolta presidencial o alferes veterinário Francisco Monte.

Instrucção de metralhadoras e guia para trabalhos de campanha.

– Aos corpos da Brigada Militar e especialmente ao grupo de metradoras da mesma milícia serão brevemente distribuídos exemplares impressos da “Instrucção para o serviço das metralhadoras “Colt”.”

– Acha-se no prélo o “Guia para trabalhos de campanha”, que tambem brevemente será distribuído.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXII, edição 088, de 17/04/1915, sábado, página 1 – *mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A instrução na Brigada Militar, em 1914.

A Federação, no dia 28 de março de 1914, sábado, noticiava:

Exercicios na Brigada Militar

Dia 27 – Sexta-feira

No 1º Regimento de Cavallaria:

1º Tempo – Gymnastica da 8ª série, esgrima de espada, manejo de fogo e marcha de 3 kilometros, pelo Alferes Apparicio Borges.

2º Tempo – 1ª parte (instrucção teórica): qualidades características do cavalo de guerra; 2ª parte (instrucção moral): sacrifícios pelo amor á Patria, exemplificação, pelos officiaes dos esquadrões, sob a fiscalização do Major Francisco Rath.

3º Tempo – Esquadrão (serviço de vedettas e exploradores) e marcha de 6 kilometros, pelo Alferes Barbosa.

No 1º Batalhão de Infantaria:

6º dia da semana de exercício.

Pessoal no quartel:

1º Tempo – Gymnastica da 3ª serie (arma e um braço), manejo d’arma e de fogo, voltas e conversões a 3 escolas e marcha de 3 kilometros, pelo Tenente Elias Gomes e pelo Alferes Firmino Rodrigues e Odorico Mendes.

2º Tempo – 1ª parte (instrucção teórica): “mascaras” e “cobertos”, sua utilização; 2ª parte (instrucção moral): respeito á Bandeira, d’onde a obrigação de sua continência, pelos subalternos das companhias, com a presença dos Capitães e fiscalização do Major Amadeu Massot.

3º Tempo – Companhia (serviço de sentinelas dobradas na rêde de segurança, constituição de um pequeno posto). Dobramento e desdobramento por esquadras e marcha de 5 kilometros pelo Capitão Adolpho Guedes de F. Menezes, auxiliado pelo Tenente Elias Gomes e Alferes Casimiro e Odorico.

Pessoal da Linha de Tiro:

1º Tempo – Tiro individual de carabina a 150, 250, 350 e 500 mestros; tiro de revólver, para officiaes, a 25 e 50 metros.

2º Tempo – Avaliação de distancias e saltos com deslocamento.

3º Tempo – Construcção rápida de trincheiras – abrigo por camaradas de combate, melhoramento dos perfis para os atiradores de joelho, servindo para abrigo e espera; preparação para o tiro á noite. Assalto á bayoneta fora das trincheiras e reconstituição das unidades por esquadras.

O exercício deste Tempo foi quase exclusivamente dirigido pelos Cabos chefes de esquadras, a cuja iniciativa foi ele entregue.

Os trabalhos correram com a máxima regularidade, tendo o instructor ahi presente, Capitão Anatolio Baeckel, felicitado vivamente os officiaes comandantes das companhias.

No 2º Batalhão de Infantaria:

1º Tempo – Gymnastica da 1ª serie (movimentos do tronco e das pernas)e manejo d’arma ao pessoal de folga, pelos inferiores, sob a inspeção do oficial de dia.

2º Tempo – Não houve, por estar o corpo de guarnição.

3º Tempo – Idem.

Das 15 ás 17 horas, regularização de cadencia para as bandas de musica e de corneteiros, pelo Capitão Francisco Varella, Ajudante.

No 3º Batalhão de Infantaria:

1º Tempo – Não houve, por ter sahido o corpo de guarnição.

2º Tempo – 1ª Parte (instrucção teórica): vozes de comando no tiro collectivo por descargas, sua influencia sobre os resultados; 2ª Parte (instrucção moral): a Bandeira e a Patria, lances heroicos, pelos subalternos das companhias, com a assistência e sob a fiscalização do Major Leopoldo Ayres de Vasconcellos.

3º Tempo – Escola de signaleiros a 8 grupos, por 5 subalternos e 3 inferioires. Emprego de 1 e 2 bandeirolas.

Das 17 ás 19 horas – regularização de cadencia para as bandas de musica e de corneteiros, exercício dado pelo Capitão Ajudante, David do Amaral.

Na Escolta Presidencial:

1º Tempo – Gymnastica da 1ª serie e esgrima de lança.

2º Tempo – 1ª Parte (instrucção teórica): nomenclatura da lança; 2ª Parte (instrucção moral): deveres para com o Estado e os cidadãos.

3º Tempo – Escola de Esquadrão (evolução e carga) pelo comandante Lourenço Galant.

Na Força da Chefatura:

Instrucção moral: deveres para com os cidadãos.

Na Invernada do Gravatahy:

Força acantonada (recrutas)

Desde 26 (quinta-feira), á tarde, acha-se acantonada nos prédios do Estado, na Invernada do Gravatahy, um esquadrão e uma companhia composta do pessoal recruta do Deposito, sob o comando do Tenente Cicero Perfeito Ferreira, auxiliado pelos Alferes Innocencio e Vasques.

Os exercícios realizados até agora constaram de uma marcha de guerra, serviços de sentinelas dobradas, vedettas, patrulhas, postos á cossaca e pequenos postos.

Seguir-se-ão exercícios de combate na defensiva , na ofensiva, na construção de trincheiras, etc.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 073, de 28/03/1914, sábado, página 6. *Mantida a grafia da época.

 

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Brigada Militar realiza instrução de tiro coletivo, em 1914.

A Federação, no dia 27 de março de 1914, sexta-feira, noticiava:

Tiro collectivo do 1º período, na Brigada Militar

Os batalhões da Brigada que concorrerão ao tiro collectivo na proxima semana deverão entrar em prova na seguinte ordem:

2º batalhão — segunda-feira
1º batalhão — terça-feira
3º batalhão — quarta-feira.

A Escolta Presidencial fará um tiro collectivo de ensaio quinta ou sexta-feira.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 072, de 27/03/1914, sexta-feira, página 1. *Mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Ordem do Dia nº 22, de 12 de março de 1915 – Nomeações – Promoções – Transferências.

A Federação, no dia 13 de março de 1915, sábado, noticiava:

 BRIGADA MILITAR

Publicamos a seguir a Ordem do Dia n. 22, de hontem datada, do Commando Geral da Brigada Militar, sobre diversas nomeações, promoções e transferências:

“Quartel do Commando Geral da Brigada Militar, em Porto Alegre, 12 de março de 1915.

ORDEM DO DIA N. 22

Para conhecimento e devida execução, publico o seguinte:

Assistente do Pessoal – Conforme solicitou, é, nesta data, dispensado do cargo de Assistente do Pessoal o major Armando de Moraes Silveira, que passa a servir addido ao 3º Batalhão de Infantaria.

Para substituil-o nas funcções do referido cargo, nomeio effectivamente o major Juvenal Joaquim Teixeira, que é incluído no estado-maior da Brigada.

Assistencia do Material – Nomeio para exercer effectivamente o cargo de Assistente do Material o major do 3º Batalhão de Infantaria, Leopoldo Ayres de Vasconcellos, que é, nesta data, incluído no estado-maior da Brigada, revertendo ás respectivas funções o capitão adjunto, José João Beckhausen.

Linha de Tiro e Deposito de Recrutas – É, nesta data, dispensado, a pedido, do logar de Director da Linha de Tiro e Deposito de Recrutas, o tenente instructor Cicero Perfeito Ferreira e nomeado para substituil-o o capitão instructor Jayme da Costa Pereira.

Louvor – Dispensando hoje do cargo de Assistente do Pessoal, a pedido, o majorArmando de Moraes Silveira, é-me grato louval-o pela inteligência, zelo e lealdade com que se houve durante o tempo que exerceu o mesmo cargo, mais de três anos, tornando-se credor da minha particular estima.

Louvo também o tenente instructor Cicero Perfeito Ferreira, que também hoje deixa o logar de diretor da Linha de Tiro e deposito de Recrutas, pelo zelo, competência e solicitude com que desempenhou aquella função, desde setembro de 1911.

Communicação – O capitão Augusto Januario Correa, comunicou em officio n. 1, de 10 do corrente, ter assumido o comando do Grupo de Metralhadoras.

Promoções – Do 2º sargento da Secção de Amanuenses, Milton Torres, ao posto de 1º sargento, para a mesma secção; dos 2º sargentos instructores Manoel Toledo da Silva e João Manoel Cardoso, aos postos de 1º sargentos instructores; do soldado do 3º Batalhão de Infantaria Abelardo Castanho, ao posto de cabo instructor, e do cabo da secção de amanuenses Fernando de Carvalho Cotta, ao posto de 2º sargento, para a mesma secção.

Transferências – Do 1º sargento instructor Salvador Rodrigues da Silva e 2º dito Luiz Gomes da Silva, para o 3º Batalhão de Infantaria e aquelle do 1º Regimento de Cavalaria, para a secção de conductores.

(Assignado) Cyprianoda Costa Ferreira, coronel.”

 

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 059, de 13/03/1915, sábado, pág. 5. * Mantida a grafia da época.