Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Campeonato de Tiro da Brigada Militar – Premiação ao 1º Regimento de Cavalaria, em 1917 – III

A Federação, no dia 18 de junho de 1917, segunda-feira, noticiava:

FESTA NA BRIGADA MILITAR

Entrega do bronze “A Victoria” ao 1º Regimento

Sabbado ultimo, conforme tivemos occasião de noticiar, foi entregue, ás 14 horas, o premio de honra a estatueta “A Victoria” ao 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar.

Este corpo, que ha tres anos consecutivos vem obtendo no tiro colectivo o primeiro logar entre as demais unidades arregimentadas da milícia estadual, conquistou assim, de accordo com as disposições do programma de instrucção da mesma força a posse definitiva daquele premio.

Para conduzir as pessoas que assistiram a festa a que nos referimos, o nosso amigo dr. Montaury de Aguiar Leitão pôz á disposição um trem da Estrada do Ferro do Riacho.

Neste comboio tomaram passagem as seguintes pessoas: Coronel Affonso Emilio Massot, comandante geral do Brigada Militar, acompanhado do seu estado-maior, composto do Major João Candido Machado, assistente do pessoal, Capitão Arlindo Franklin Barbosa, assistente do material, interino; capitão Cândido Pinheiro de Barcellos, secretario; Alferes Christiano José Bocorny, ajudante de ordens e dos Tenentes-Coroneis Francellino Rodrigues Cordeiro, commandante do 1º Batalhão; Aristides da Camara e Sá, commandante do 3º Batalhão; Majores Gregorio Portuguez, Amadeu Massot e Augusto Januário Correa, Capitão Lourenço Galant; commandante da Escolta Presidencial; Mirandolino Machado, comandante do Grupo de Metralhadoras;  Tenentes do Exercito, Anatolio Baeckel, Emilio Lucio Esteves e João de Deus Canabarro Cunha, instructores o outros officiaes.

No quartel do 1º Regimento da Brigada Militar, no Crystal, a comitiva foi recebida pelo comandante e e officialidade daquelle corpo.

Em frente do edificio onde se acha installado o 1º Regimento, achava-se postada uma guarda de honra, que prestou as continencias a que tem direito o commando geral.

Essa guarda de honra era commandada pelo Capitão Cassiano Vasques.

Logo após, a chegada do commando geral, teve inicio a solenidade da entrega do premio a que nos referimos.

Por essa occasião foi lida, pelo Capitão secretario Candido Barcellos, a ordem do dia que a seguir transcrevemos :

“Quartel do Commando Geral da Brigada Militar, em Porto Alegre, 16 de junho de 1917.

ORDEM DO DIA N. 61

Para conhecimento da força sob meu commando publico o seguinte:

PREMIO DE HONRA — ESTATUETA “A VICTORIA” – CONQUISTA DEFINITIVA

O 1° Regimento de Cavallaria, sob o commando do tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, alcançou por tres vezes consecutivas o 1º logar nos concursos de tiro collectivo.

Cabe-lhe por esse motivo a posse definitiva da estatueta “A Victoria”, premio estabelecido pela clausula 5ª do Programma de Instrucção, para o corpo que conseguisse essa classificação.

Entregando ao 1º Regimento o premio de honra que conquistou e com a solennidade que estabelece a ordem do dia n. 327 de 11 junho de 1913, o faço com especial satisfação, por isso que é muito significativa a victoria obtida por este corpo, considerando que apezar de achar-se fora da Capital, em serviços de campanha, nunca foi descuidada da instruação do tiro, organizando seu comandante linhas para exercícios nos pontos em que acampava por largo tempo.

Assim procedeu em 1915 quando na villa do Rosário, assim procedeu egualmente em 1916, quando aquartelou em Santa Maria.

Em 1914 venceu com a porcentagem de 13,48; em 1915 com a de 17,31 e em 1916 com a de 23,22.

O progresso constante, verificado por estas porcentagens, aliás tambem observado de modo brilhante nas outras unidades da Brigada, prova de modo eloqüente o empenho do commandante e seus officiaes em preparar seus soldados no tiro de guerra.

Receba o snr. Tenente-Coronel Claudino com os officiaes do 1º Regimento de seu commando meus efusivos cumprimentos – (Assignado) Affonso Emilio Massot, Coronel.”

Em seguida, começou a entrega dos prêmios em dinheiro, ás praças que obtiveram classificação no exercicio de tiro individual, de conformidade com o Programma de Instrucção.

Finda essa entrega, foi cantada a Canção do Soldado, por todas as praças do referido corpo.

O Capitão João Cândido Alves de Mesquita fez, então, uma prelecção sobre a data de 17 de junho.

Ainda no pateo do quartel do 1º Regimento, foram feitas evoluções por um esquadrão, dirigido pelo Capitão Cassiano Vasques.

Recebido no gabinete do commandante do Regimento o Coronel Massot fez uso da palavra felicitando o Tenente-Coronel Claudino pelo resultado alcançado no tiro collectivo, prova evidente de seu constante cuidado e carinho pela instrucção do seu Regimento.

Em expressivas palavras o Coronel Claudino agradeceu a saudação feita pelo commando geral.

Em seguida, foi servido chá e finos doces a todos os presentes, havendo, nesta occasião, várias saudações.

A estatueta A Victoria foi levada do gabinete do comandante até o logar da solennidade pelo 1º atirador da Brigada, 1º sargento amanuense do Grupo de Metralhadoras, Pedro Pereira Alves e dahi reconduzida ao gabinete pelo 1º atirador do corpo, soldado Gregorio Maria Magdalena.

Ás 17 horas, regressou o Coronel Affonso Massot e sua comitiva para a cidade, ficando no Crystal varios officiaes e famílias para assistirem a sessão cinematographica no quartel.

 

Fonte: A Federação, Anno XXXIV, Edição 140, de 18/06/1917, segunda-feira, pág. 7. *Mantida a grafia da época

Estatueta A Vitoria

Foto existente no Álbum comemorativo aos 30 anos de criação da Brigada Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Entrega de premiação ao 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar, em 1915

A Federação, no dia 17 de junho de 1915, quinta-feira, noticiava:

Brigada Militar — O commando geral da Brigada Militar mandou convidar, pelo boletim de hontem dessa milicia, os commandantes de corpos com seus estados-maiores, a comparecerem, hoje, ás 14 horas, na estação do Riacho, em uniforme 2º e armados, a fim de acompanharem aquelle commando ao quartel do 1º Regimento de Cavalaria, no Crystal, para assistirem á solemnidade da entrega da estatueta “A Victoria” e a distribuição dos premios aos atiradores que venceram nas provas de tiro do corrente anno.

Foi ordenado aos corpos e repartições providenciarem no sentido de comparecerem, ás 14 e ½ horas, no quartel do 1º Regimento de Cavallaria, no Crystal, todas as praças classificados nessas provas e com direito a premios, de accordo com a ordem do dia n. 57, de ante-hontem datada.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXII, edição 138, de 17/06/1915, quinta-feira, página 5 – *mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Campeonato de Tiro da Brigada Militar – Premiação ao 1º Regimento de Cavalaria, em 1917 – II

A Federação, no dia 16 de junho de 1917, sábado, noticiava:

Bronze “Victoria”

Á hora que escrevemos a presente notícia, no quartel do 1º Regimento da Brigada Militar, situado no Crystal, realiza-se uma festa pera solenizar a entrega dos prêmios aos vencedores do concurso de tiro effectuado no corrente anno.

Ao 1º Regimento foi entregue o bronze “Victoria”, conquistado pela terceira vez pelo referido corpo.

Á essa festa compareceu toda a oficialidade da Brigada Militar.

Pela mesma ocasião, foi entregue o premio conquistado pelo sargento amanuense Pedro Pereira Alves, classificado como primeiro atirador da Brigada Militar.

Para conduzir as pessoas que desejaram assistir a referida festa, foi posto á disposição um trem da Estrada de Ferro do Riacho.

Fonte: A Federação, Anno XXXIV, Edição 139, de 16/06/1917, sábado, pág. 6. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Campeonato de Tiro da Brigada Militar – Premiação ao 1º Regimento de Cavalaria, em 1917 – I

A Federação, no dia 15 de junho de 1917, sexta-feira, noticivava:

Entrega dum prêmio ao 1º Regimento da Brigada Militar — Amanhã será entregue ao 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar a estatueta “Victoria”, conquistada por esse corpo, no ultimo campeonato de Tiro, realizado, ha mezes passados, naquella milicia estadual.

Pela mesma occasião, será feita a distribuição dos prêmios conquistados no tiro individual.

Neste torneio de tiro tirou o primeiro logar o sargento amanuense Pedro Pereira Alves, que é o primeiro atirador da Brigada Militar.

O commando geral, em boletim de hoje, convidou os comandantes de corpos o chefe de repartições para assistirem essa festa, bem como toda a officialidade sob o seu commando.

Fonte: A Federação, Anno XXXIV, Edição 138, de 15/06/1917, sexta-feira, pág. 4. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar reprime o contrabando em Jaguarão, em 1908.

Correio do Povo, no dia 09 de maio de 1908 noticiava:

 Força da brigada militar – No vapor Brazil, seguirão amanhã, com destino a Jaguarão, 23 praças do 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, sob o commando do alferes João de Azevedo Machado. Essa força ficará naquella cidade á disposição do capitão Santos Filho, inspector fiscal da repressão do contrabando.

 

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. * Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Banda de Música da Brigada Militar, em 1911

Correio do Povo, no dia 8 de maio de 1911, domingo noticiava:

Bandas da Brigada

 

08 05 2016 - banda da bm

Banda da Brigada Militar
Crédito: FOTO MUSEU DA BRIGADA MILITAR

Consta-nos que já foi assignado, pelo presidente do Estado, o decreto creando a banda de musica especial da Brigada Militar. Dirigil-a-á o professor Pedro Borges, com a graduação de Alferes. O governo do Estado já encommendou, para Paris, instrumental destinado á banda do 1º Regimento de Cavallaria.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Revista aos Corpos da Brigada Militar e desfile, em 1914

A Federação, no dia 08 de maio de 1914, sexta-feira, noticiava:

Brigada Militar — Formatura em parada

Com um effectivo de 1035 homens, constituindo 3 Batalhões de Infantaria a 4 Companhias e 1 Regimento de Cavallaria a 4 Esquadrões, formou em parada para revista no Campo da Redempção, hontem, ás 14 ½ horas, em uniforme 4º, conforme fôra determinado em detalhe do serviço, a Brigada Militar do Estado.

A força formou em linha desenvolvida, a cavallaria em batalha, occupando toda a extensão que vae pela avenida Sant’Anna desde o Collegio Militar, onde se apoiou a direita occupada pelo 1º Batalhão de Infantaria, até as immediações do Instituto Technico Profissional, onde se achava a esquerda da cavallaria.

De armas descançadas, com o intervallo entre si de 30 passos, aguardavam os corpos a chegada do commandante geral para prestar-lhe a devida continência.

A’s 14 1/2 horas em ponto approximava-se da força o coronel Cypriano Ferreira e seu Estado-Maior e ao distar 50 metros do centro da linha, todos os Corpos, da direita para a esquerda, fizeram braço-arma e apresentar-arma.

Correspondendo á continência com a mão direita, assumiu o Coronel Cypriano o commando da tropa em parada, fazendo os Corpos em seguida braço arma.

Teve, então, inicio a revista.

O Estado-Maior collocou-se á direita de toda a linha e o commandante geral percorreu toda a força da direita para a esquerda, tocando a Banda de Musica de cada Corpo um dobrado quando esta antoridade se approximava 10 metros do flanco direito, sendo ali recebido pelo comandante, que o saudava e acompanhava do lado exterior até 10 metros além do flanco esquerdo, quando a musica deixava de tocar, regressando o commandante ao seu lugar, após nova saudação de espada.

De modo semelhante procederam todos os Corpos á passagem do commandante geral pela retaguarda.

Terminada a revista mandou o commandante geral descançar-arma, fazendo em seguida, por intermedio do assistente do pessoal e ajudante de ordens, chegar suas determinações aos comandantes de Corpos.

Teve lugar, então, o desfilamento, a infantaria por pelotões e cavallaria por quatro, seguindo toda a força pela rua da República, Campo da Redempção, Praças Independencia e Conde de Porto Alegre, ruas Duque de Caxias, General Canabarro, Andradas e Independencia até a Praça D. Sebastião.

Ao enfrentar ao Palacio do governo, achando-se em uma das janellas o dr. presidente do Estado, a tropa prestou-lhe as devidas continências marcadas na tabella.

Na praça D. Sebastião, determinou o commandante geral o deslocamento das forças, a seus quartéis, tendo a mesma autoridade recebido de cada Corpo que se retirava a continência regulamentar.

O asseio da tropa, quer quanto ao uniforme, quer quanto ao armamento ou arreiamento, nada deixou a desejar, e a firmeza com que se apresentou na parada e o garbo e desembaraço que demonstrou na marcha, effeito de um treinamento methodico e continuo, mereceram louvores.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 107, de 08/05/1914, sexta-feira, pág. 5. *Mantida a grafia da época

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exames para candidatos a postos superiores e para recrutas, na Brigada Militar, em 1915.

A Federação, no dia 07 de maio de 1915, sexta-feira, noticiava:

Exames práticos

Realisou-se a prova escripta do exame pratico para o posto de Alferes, comparecendo seis candidatos.

Hoje, sexta-feira, terá lugar a prova oral.

Amanhã, sábado, prova oral de exame para o posto de Capitão, tendo-se inscripto um único candidato, tenente Ayres de Vasconcellos do 1º Regimento de Cavallaria.

Exame de Recrutas

Segunda-feira, na Linha de Tiro, haverá exame para cerca de quarenta recrutas de infantaria, devendo se achar no local os comandantes dos Corpos e instructores

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 103, de 07/05/1915, sexta-feira, pág. 6. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Comandante do 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar, passa à disposição do Ministro das Relações Exteriores, em 1915

A Federação, no dia 06 de maio de 1915, quinta-feira, noticiava:

1º Regimento de Cavallaria

 

O Major Francisco Rath assumiu hontem o comando do 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar.
Assumiram os cargos de Fiscal e Ajudante, respectivamente, o Capitão Alfredo Webber e o Alferes João Pedro Barboza.

Taes modificações se deram por ter seguido na comitiva do Dr. Lauro Müller, como oficial á disposição, o comandante do referido corpo, Tenente-Coronel Claudino Nunes Pereira

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 102, de 06/05/1915, quinta-feira, pág. 5. *Mantida a grafia da época.

 

** Miguel Pereira, no Esboço Histórico da Brigada Militar, Vol. I, pág. 461, registra este fato da seguinte forma:

“…  A 30 de abril (de 1915), o tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, comandante do 1º Regimento de Cavalaria, passou à disposição do ministro das Relações Exteriores, Dr. Lauro Severiano Müller, a quem neste Estado foram prestadas subidas honras e dispensado carinhoso acolhimento.

A 3 de maio, a Brigada Militar formou em parada e lhe prestou continências, homenagens essas que o ilustre chanceler mandou agradecer, no dia seguinte, por intermédio do tenente Dr. Amaro de Azambuja Vilanova.

A 15 apresentou-se de sua comissão especial, o Tenente-Coronel Claudino. …”

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – O Quartel de Infantaria da Brigada Militar, em 1911

Correio do Povo, no dia 26 de abril de 1911, noticiava:

Quarteis da Brigada

O major Israel Azambuja, funccionario da Secretaria das Obras Publicas e encarregado dos reparos no quartel do 3 batalhão da Brigada Militar, já os ultimou.

– Em meados de maio proximo, o 1 regimento de cavallaria dessa milicia transferir-se-a para aquelle quartel.
Os 2 e 3 batalhões passarão a occupar o grande edificio á praia de Bellas, cujas obras se acham quasi concluidas.

Quartel da BM Praia de Belas - Para o Blog 26 04 2017

Foto publicada junto à notícia do Jornal Correio do Povo

Para o Blog - 26 04 2017

Foto publicada no Álbum comemorativo dos 30 anos de Criação da Brigada Militar