Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Comandante Geral da Brigada Militar visita quartéis, em 1915.

A Federação, no dia 18 de abril de 1915, domingo, noticiava:

Visita a quartéis e estabelecimentos – O Tenente-Coronel Affonso Emilio Massot, comandante geral interino da Brigada Militar, acompanhado do Major Leopoldo Ayres de Vasconcellos, Assistente do Material e Alferes Jorge Castiglioni, Ajudante de Ordens, visitou, hontem, o Posto Veterinário do Gravatahy e os quartéis do Grupo de Metralhadoras e Deposito de Recrutas da mesma milícia, trazendo dessa excursão optima impressão.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 089, de 18/04/1915, domingo, página 5. *Mantida a grafia de época.

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Passagem do Comando-Geral da Brigada Militar – Coronel Cypriano para Tenente-Coronel Massot, em 1915

A Federação, no dia 31 de março de 1915, quarta-feira, noticiava:

Brigada Militar

Entrega do Comando

Varias informações

Segue hoje, pelo Ipanema, para o Rio de Janeiro, o nosso illustre amigo coronel dr. Cypriano da Costa Ferreira, que por longo espaço de tempo exerceu o cargo de commandante geral da Brigada Militar.    Segue s. exa. para a capital da Republica, a fim de assumir o cargo de chefe do serviço do Estado-Maior da 3ª divisão do Exercito.

O coronel Cypriano foi nomeado commandante geral da Brigada Militar a 15 de março de 1909, assumindo na mesma data o exercicio das funcções innerentes ao elevado cargo em que o colocava a confiança do patriotico governo do Estado, solidamente fundada nas experimentadas qualidades do distincto militar, evidenciadas atravez de uma vida cheia de serviços á causa publica.

Desde então começou o coronel Cypriano a pôr em pratica uma série de medidas, que se synthethisam n’um plano completo e maduramente concebido, ao qual se deve o magnífico estado em que se encontra a milícia estadual sob todos os pontos de vista.

Assim, propoz, obtendo immediata approvação, novos planos de uniformes e de arreiamento para officiaes e praças, sendo, em virtude dessa reforma, creado o uniforme de gala para officiaes e praças e adoptado elegante arreiamento para o serviço da cidade.

Creou o Conselho Administrativo da Brigada, extinguindo os dos corpos, com a grande vantagem de permittir ao Commando Geral não só o conhecimento perfeito do movimento administrativo de todos os elementos de que se compõe a milicia, mas também o emprego equitativo das economias em proveito de toda a força.

Por conta da Caixa da Brigada, construiu a Linha de Tiro, uma das melhores do Brazil, despendendo nesse serviço cerca de 70:000$000. A construcção foi iniciada em outubro de 1909 e terminada em novembro de 1910.

Na antiga Chacara das Bananeiras, em terrenos do Estado, onde se acha localisada a Linha, innumeros melhoramentos foram introduzidos, ahi vendo-se hoje o Picadeiro, construcção resistente e elegante, que veiu abrir nova phase de progresso à equitação no Rio Grande; o Deposito de Carruagens; o Paiol de Munição; o quartel dos recrutas; baias para grande numero de animaes; uma caixa d’agua donde se distribue agua encanada para os diversos edifícios; uma excelente estrada de rodagem, conduzindo  ao arroio Ferradura onde se fez uma represa e se acham as machinas precisas para sucção e elevação de agua que, canalisada, vae ter á caixa, quando a vertente que alimenta esta se torna insufficiente; extensas plantações de forragens e legumes, açudes e potreiros, divididos por cercas de moirões de pedra e arame farpado, que delimitam, assim, o terreno pertencente ao Estado; quatro casas occupadas por posteiros encarregados da vigilancia das cercas e dos animaes; outras casas ainda para os  officiaes  encarregados de auxiliar a instruccão, etc.

Levou a effeito o coronel Cypriano a conclusão do Quartel de Infantaria sito á Praia de Bellas, adaptando-o a dois corpos, e transformou em Quartel da Escolta Presidencial o edificio em que
funccionavam as officinas da Brigada, que foram transferidas para outro prédio, á rua Sete de Setembro, e cuja capacidade de produção foi melhorada.

Em consequencia dessas reformas, adaptou o Quartel de Infantaria do Crystal, localisado á margem esquerda do Guahyba, para o 1º Regimento de Cavallaria, então aquartelado em Gravatahy, onde se  achava mal alojado, estabelecendo nesse local um Posto de Veterinaria e uma boa officina de ferraria, especialmente para o fabrico de ferraduras, tudo sob a direcção de um alferes veterinário.  Remodelou a Invernada de Gravatahy, a fim de melhor corresponder ao seu objectivo.

Transformou a Enfermaria do Crystal, construiu o isolamento para moléstias infecto-contagiosas e realisou com as irmãs franciscanas o contracto para o serviço hospitalar.

Creou o logar de major chefe do serviço sanitario, adquiriu abundante e moderno material cirurgico, instituiu o Serviço de Padioleiros, importando da Europa e fazendo aqui construir numerosos modelos de padiolas para o serviço de guarnição e de campanha.

Adoptou perneiras para toda a tropa, substituiu o antigo equipamento e material de campanha muito deficiente, por outros de systema mais adiantado.

Substituiu a espadas dos officiaes por outras de formato mais elegante e mais leve, e as lanças antigas por modernas hastes de bambú.

Fez a acquisição de excellente material de sapa com que dotou a tropa de infantaria.

Modificando ainda uma vez o plano de uniformes com grande economia para os cofres do Estado, instituiu o uniforme de campanha, consequência das múltiplas manobras a que se entregou a força durante o seu comando.

Creou o Serviço de Signaleiros nos corpos, implantou a instrucção civica e moral, incrementou, o ensino litterario nas Escolas Regimentaes e da Brigada, encaminhou a officialidade na execução dos levantamentos topográficos expeditos.

Creou a Bibliotheca da Brigada, bem provida de escolhidas obras litterarias, scientificas e militares e inaugurou nos corpos as palestras militares semanaes.

Organisou a Banda de Musica da Brigada, creando o cargo de alferes inspector de todas as bandas.

Montou apparelhos completos de gymnastica em todos os quartéis e cinematographos nos da Praia de Bellas e do Crystal.

Passou para o Estado-Maior da Brigada o secretario, o ajudante de ordens e o adjunto do assistente do material.

Creou as secções dos serviços auxiliares, artífices, conductores, amanuenses e enfermeiros, e melhorou, uniformisando e simplificando, a escripturação dos corpos e repartições, augmentando assim o tempo disponível para os exercicios práticos e estudo correspondente.

Iniciou o provecto comandante geral da Brigada Militar as resoluções de themas tacticos, realizando grandes manobras em S. Leopoldo e proximidades de Canoas, nos Campos do Cortume, terrenos do Estado. Transformou estes em um excellente campo de manobras, ahi fazendo, as installações necessarias para o conforto e hygiene do pessoal e comunicações faceis e rapidas com a capital.

Em seu commando ainda creou e organizou-se o 2º Regimento de Cavallaria em Sant’Anna do Livramento, sendo de sua iniciativa a construção do confortável quartel onde está alojado esse corpo naquella cidade.

Jamais descurando do aperfeiçoamento tactico do pessoal e do aparelhamento necessário a maxima efficiencia da força, propoz a creação de um Grupo de Metralhadoras, o que se verificou
em 16 de novembro findo, e organizou-o em 6 de março do mez corrente, provendo-o de todo o
material o animaes necessários.

Desde os primordios do seu commando foi o coronel Cypriano efficazmente assistido por instructores vindos do exercito.

Systematisou os variados serviços administrativos, todo regulamentado.

Assim, deve-se-lhe a elaboração dos seguintes regulamentos: geral da brigada, do meio soldo, do Conselho Administrativo, do serviço interno e de guarnição, do serviço sanitário e de veterinária, penal, da Linha de Tiro, de continências, de exercícios de infantaria, de cavallaria, de metralhadoras, de gymnastica, esgrima de espada, lança e bayoneta, de signaleiros, do serviço de segurança, em marcha e em estação, de padioleiros, dos trabalhos de campanha, da ordenança de cometas e clarins.

O programma de instrucções, que mandou organizar pelos instructores, regulamentou, systhematizando todo o ensino militar pratico, individual e collectivo; e graças a esse programma, não existe hoje na Brigada Militar um só individuo que se não tivesse adestrado na instrucção do tiro e ainda uma só unidade que não houvesse executado divrrsas vezes o tiro collectivo.

Foi, finalmente, o coronel Cypriano Ferreira quem instuiu os prêmios individuaes e coIlectivos para os atiradores e unidades, creando ainda os distinctivos para aquelles.

Eis em traços rápidos, mas sobremodo eloquentes, o resultado da acção do coronel Cypriano durante o período relativamente curto de seis anos em que esteve à testa do comando geral da Brigada Militar do Estado.

Nada mais é preciso acrescentar a essa exposição simples das reforma porque passou a milícia estadual para aquilatar-se da extraordinária atividade da dedicação, da competencia do coronel Cypriano e de mais esse inestimável serviço que o digno militar prestou ao Rio Grande do Sul.

Passagem do comando

No quartel do Commando Geral effectuou-se hontem às 18 horas, a passagem do comando geral da Brigada Militar ao tenente-coronel Affonso Emilio Massot, mais antigo dos officiaes dessa graduação.

A’quella hora, estando presentes todos os officiaes da Brigada, em 2º uniforme e armados, chegava ao referido quartel o Coronel Cypriano.

Reunidos no salão nobre, o referido oficial, tomando a palavra, entregou o commando ao seu substituto, fazendo elogiosas referencias ao coronel Massot, como aos demais officiaes.

Em seu nome e em nome deste respondeu agradecendo o tenente-coronel Massot.

Em seguida, foram lidas pelo secretario, as seguintes ordens do dia:

Quartel do comando geral da Brigada Militar, em Porto Alegre, 30 de março de 1915.

ORDEM DO DIA Nº 30

Para conhecimento e devida execução, publico o seguinte:

ENTREGA DE COMMANDO

Tendo de retirar-me para o Rio de Janeiro, onde vou ocupar o cargo de chefe do serviço de Estado-maior no quartel da 3ª Divisão, passo nesta data o comando da Brigada Militar, na forma do regulamento, ao tenente-coronel Affonso Emilio Massot, comandante do 2º Batalhão.

Entregando hoje este comando que exerci por espaço de mais de 6 annos, lisongeia-me sobremodo o grau satisfactorio de instrucção e disciplina em que deixo a força militar do Rio Grande, que fica com seus múltiplos e variados serviços organizados e regulamentados.

Para esse resultado, que foi objecto de minha preocupação constante, muito contribuíram auxiliares dedicados que prestaram ao meu comando inestimável concurso, de conformidade com as atribuições e deveres impostos ás funções de cada um.

Assás desvanecido pelas demonstrações de affectuosa consideração á minha pessoa e referencia, não só ao estado actual da força, como á acção de meu comando por ocasião da visita de despedida que fiz aos corpos e repartições, envio a todos, chefes, officiaes e praças, um cordial abraço de despedida, fazendo votos pela felicidade e gloria da Brigada Militar.

(Assignado) Cypriano da Costa Ferreira, Coronel.

Quartel do Commando Geral da Brigada Militar, em Porto Alegre, 30 de março de 1915.

ORDEM DO DIA Nº 31

POSSE DE COMMANDO

Conforme fez público a Ordem do Dia nº 30, do sr. Coronel Dr. Cypriano da Costa Ferreira, deixa hoje este ilustre oficial do Exercito o comando da Brigada Militar do Estado, que é-me transmitido, em obediência ás prescrições do art. 9º, paragrapho único do regulamento em vigor.

Assumindo as elevadas funções deste posto, procurarei exercel-as distribuindo justiça e cumprindo fiel e lealmente as ordens emanadas do Exmo. Sr. Dr. Presidente do Estado.

(Assignado) Affonso Emilio Massot, Tenente-Coronel

Logo após a leitura das ordens do dia, tomou a palavra o capitão dr. Eurico de Oliveira Santos que, em nome dos officiaes do Estado-Maior, fez a entrega ao coronel Cypriano de um bronze representando “As conquistas do Homem”, acompanhado de um cartão de prata com os seguintes dizeres:

Ao eminente remodelador da Brigada Militar, coronel Cypriano da Costa Ferreira, lembrança dos officiaes que serviram no seu Estado-Maior. Março de 1915.”

Offerecendo um quadro com a fotografia da banda de música, falou o maestro, alferes Pedro Borges, que entregou também ao coronel Cypriano uma medalha de ouro, lembrança do pessoal da mesma banda.

Terminada a solenidade o coronel Cypriano retirou-se para sua residencia, sendo acompanhado pelo major Leopoldo Ayres de Vasconcelos.

Na parte externa do edifício achava-se postada a grande banda da Brigada Militar, que executou diversos trechos.

Outras notas

O tenente-coronel Affonso Emilio Massot poz á disposição do coronel Cypriano o seu ajudante de ordens, alferes Jorge Pellegrino Castiglione, que o acompanhou até o Rio Grande.

Por determinação do commandante-geral, a oficialidade da Brigada Militar, em uniforme 2º e armada, irá hoje ao Grande Hotel, de onde acompanhará o coronel Cypriano até o “Itapema”, a cujo bordo segue o ilustre militar.

Nas imediações do trapiche, formará, prestando as continências que tem direito aquelle oficial, o 1º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXII, edição 074, de 31/03/1915, quarta-feira, páginas 1 e 2 – *Mantida a grafia da época.

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Visita do Presidente do Estado à Chácara das Bananeiras, em 1915.

A Federação, no dia 19 de março de 1915, sexta-feira, noticiava:

 Visita presidencial

Conforme havíamos noticiado, visitou hontem o Posto de Veterinaria e as diversas installações da Brigada Militar na Chácara das Bananeiras, arrabalde do Parthenon, o exmo. Sr. dr. presidente do Estado.

A’s dez e meia horas, tendo chegado á residencia de sua exa. o coronel dr. Cypriano da Costa Ferreira, acompanhado dos capitães Anatolio Baeckel, instructor chefe, Cândido Pinheiro de Barcellos, secretario e alferes Pellegrino Castiglioni, ajudante de ordens, dirigiu-se para o Posto de Veterinária, instalado no antigo quartel de cavallaria da Várzea do Gravatahy, levando mais em sua comitiva os drs. Protasio Alves, secretario do interior, Domingos Mascarenhas, deputado federal, Renato Costa, official do gabinete e o capitão Lourenço Galant, ajudante de ordens.

O percurso foi feito em automoveis, tendo sido occupados tres destes vehiculos.

A’s dez horas e trinta e cinco minutos chegavam os visitantes ao Posto de Veterinaria, sendo ahi recebidos pelo respectivo encarregado, alferes Francisco Monte.

Logo em seguida dirigiram-se para a ferraria do posto, que se achava funcionando, trabalhando quatro operarios na confecção de ferraduras.

Teve, então, o dr. presidente do Estado, occasião de ver o fabrico de algumas dessas peças, elogiando s. exa. a aptidão dos homens empregados nesse mistér pois a ferraria do Posto de Veterinária apronta até duzentas ferraduras por dia e isso com aproveitamento de ferro velho, proveniente de objectos inserviveis e das próprias ferraduras usadas.

Sahindo da ferraria dirigiu-se sua exa. para um dos pateos do Posto, onde poude observar alguns especimens de reproductores e éguas.

Entre outros foram apresentados o cavallo Indio, puro sangue inglez, pello tostado, de 18 a 20 annos de idade, adquirido em 1905; um mestiço, filho de Menelick, pelo vermelho, com 2 annos de idade; Menelick, puro sangue Orloff, pello, escuro, com 20 annos, animal de tracção; egua meio sangue, zaina, 3 annos, filha de Menelick; egua meio sangue bolognez, pelo picaço, 3 ½ annos, animal de tracção; bolognez ½ sangue, escuro, 3 annos, tracção; bolognez ½ sangue, tordilho, 3. Anos, tracção; reproduclor Remember, 15 annos, zaino.

Visitou sua exa. em seguida as baias do estabelecimento em numero de sessenta e quatro, passando dahi para um segundo pateo, onde estavam cerca de 50 cavallos, tratados á meia estabulação, parte creoulos, reforçados, gordos, e que muito bem impressionou.

Vistos estes animaes, encaminnaram-se todos para a grande mangueira do Posto, onde se achavam encerrados para mais de 250 cavallos do campo, de diversos, pellos e bella apparencia, apesar de não terem trato especial.

Num pequeno potreiro ao lado foram reunidas cerca de 140 eguas de 3 a 5 annos, ½ sangue, 110 já padreadas pelos jumentos e pelos cavallos reproductores, sendo estes em numero de dois e aquelles de tres.

Viram-se mulas e burros de 1ª, 5 mezes, tendo sido muito admirado um destes, pello zaino e avaliado já em um conto de réis.

Eram 11 e 20 minutos, quando se deu por terminada a visita, tendo sua exa. o dr. presidente, antes de sahir, felicitado o encarregado do Posto, alferes Francisco Monte, pela ordem que notou e pela boa impressão que teve de tudo quanto viu.

Deixando o Posto de Veterinária, tomaram os automoveis a direção da Linha de Tiro da Brigada, ahi chegando ás 12 horas.

Neste local foram os visitantes recebidos peto tenente-coronel dr. Assis Brazil, que se occupava em trabalhos de equitação, capitão commandante do Grupo de Metralhadoras, Augusto Januário Corrêa e respectiva oficialidade, capitão Jayme da Costa Pereira, director do Deposito de Recrutas com os officiaes seus auxiliares e o tenente instructor Cicero Perfeito Ferreira.

Desembarcando junto ao Picadeiro, instalação modelar no gênero, ahi estiveram, durante ½ hora, sua exa. o dr. presidente, respectiva comitiva e os demais officiais.

Durante este tempo, o dr. Assis Brazil prelecionou sobre os processos que emprega para o ensino da equitação, desde os exercícios gymnasticos no cavallo de pau até os mais difíceis, em movimento, com o proprio cavalo.

Visto o picadeiro, teve lugar a visita ao elegante e confortável quartel das metralhadoras, quase a concluir-se, tendo sido este edifício percorrido em todas as suas dependencias. No pateo interno do mesmo acha-se prompto e installado um systema competo do apparelhos de gymnastica, como existem nos demais quarteis da milicia.

Perto do quartel das metralhadoras, e já construído ha algum tempo, existe o Paiol de Munição, servindo lambem provisoriamente de parque daquellas armas.

Ahi estiveram os visitantes, tendo sua exa.o dr. presidente examinado todo o material neste local depositado, recebendo detalhadas informações a respeito dadas pelo coronel commandante geral, como sejam o fabrico de arreios e cargueiros apropriados para as metralhadoras, feitos nas officinas da Brigada, caixas de munição etc.

Ao deixar o paiol de munição foi sua exa. assistir á formatura a cavallo de uma secção do Grupo de Metralhadoras, comandada pelo alferes Paulino Leite, a qual, após algumas evoluções, retirou-se a quartel ás 13 horas e 10 minutos.

Convidado pelo comandante geral coronel Cypriano Ferreira, sua exa. e respectiva comitiva tomaram o caminho que conduz ao Stand de tiro, em cuja sala de honra se detiveram em rapida palestra, dirigindo-se todos, momentos depois, para o salão ondo se achava posta uma mesa para um lauto almoço.

Este terminou ás 15 ½ horas, sendo ao champagne brindado por sua exa. o dr. presidente do Estado, o coronel commandante geral da Brigada, dr. Cypriano da Costa Ferreira. Neste brinde disse sua exa. que, visitando o local da Linha de Tiro da Brigada, o fazia não só para observar os novos melhoramentos, ahi introduzidos, mas tambem e muito particularmente para trazer ao coronel Cypriano com bastante significação o seu abraço de despedida, além do que iria levar-lhe por occasião da partida; que os serviços inestimáveis prestados pelo coronel Cypriano, tanto na guerra como nos labores da paz constructora, á Brigada e ao Estado o tornavam credor da alta consideração dos poderes publicos e da sua particular, pois contava esse digno militar entre o numero de seus melhores amigos: que o nome do coronel Cypriano estava ligado ao facto da Republica e que, vendo-se privado do seu leal e fecundo concurso, tinha a certeza, entretanto, de que o Governo
Federal, chamando-o para o desempenho da alta funcção de chefe do Estado Maior da 3ª divisão, saberia avaliar o mérito do illustre militar que é um ornamento de sua classe.

Levantava sua taça em honra do coronel Cypriano.

Em resposta disse este sentir-se justamente, desvanecido por saber terem, sido bem apreciados os serviços que com dedicação e lealdade prestou á Brigada Militar e, portanto, ao Rio Grande, sua querida terra natal.

E mais desvanecido ainda quando via partir da mais alta auctoridade, do Estado conceitos tão elevados á sua humilde pessoa.

Ao dr. Borges de Medeiros, emérito presidente do Estado, glorioso chefe do partido republicano, querido e acatado, agradecia tão elogiosas referencias, levantando também a taça em sua honra.

A’s 16 horas, após ter-se servido café, teve lugar um ligeiro exercício de fogo de uma secção de metralhadoras, batendo-se alvos até 500 metros, fazendo-se diversas especies de tiro, principalmente o ceifante vertical.

Terminado este exercício com geral agrado de todos, dirigiram-se sua exa. o dr. presidente, o coronel Cypriano, o dr. Mascarenhas e os demais membros da comitiva e oficiais presentes para a represa do Arroio Ferradura, distante do stand mais ou menos 2 kilometros, tendo sido feito o trajecto, parte em automoveis e parte a cavallo. Durante este percurso poude ser observada a optima estrada de rodagem que, por conta da Brigada, está sendo construída, vendo-se já promptos trabalhos numa extensão de 1.000 metros.

Esta construcção está sendo dirigida pelo capitão Figueiró, oficial reformado da milícia.

A’s 17 horas chegaram os visitantes á referida represa, destinada á fornecer a todos os edificios da Linha de Tiro agua boa o em abundância, a qual é levada a uma caixa installada aquém do morro abaixo de cuja vertente opposta corre o Ferradura.

Junto da represa acha-se a casa das machinas que fazem funcionar a bomba destinada áquelle fim.

Ainda sobre o Ferradura, no ponto em que passará a estrada em construcção, acha-se quasi concluído um bello pontilhão, feito pelo official que dirige os trabalhos da mesma estrada.

Deixando a represa seguiram todos a percorrer os extensos campos dobrados, cobertos aqui e ali de bosques, alguns com arvores de madeira de lei, passando assim por quatro casas de posteiros, que tantos são os que ahi existem, bem cuidadas e confortáveis.

A’s 7 ½ horas chegaram os excursionistas ao açude feito no alto de um morro e uns 200 metros de altitude, podendo dahi descortinar bellissimos panoramas em todas as direcções.

A’s 18 ¼  horas, após quase duas leguas de cavalgada, chegaram todos ao ponto em que se achavam os automoveis, parte terminal da estrada prompta, seguindo dahi novamente para o stand do tiro, onde foram servidos café e licor.

No livro dos visitantes ficou consignado o seguinte: “18 de março de 1915 – Visita em despedida ao illustrissimo coronel Cypriario da Costa Ferreira, que parte para a Capital
Federal, onde vae assumir a chefia do Estado Maior do Quartel General da 3ª Divisão.

(Assignados) Borges do Medeiros, Protasio Alves, tenente-coronel Assis Brazil, dr. Domingos Mascarenhas, dr. Renato Costa, official de gabinete”.

Eram 19 horas quando sua exa. o dr. presidente e os que o acompanharam, deixaram a Chacara das Bananeiras, chegando à cidade ás 19 horas e 25 minutos.

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 063, de 19/03/1915, sexta-feira, página 1 * Mantida a grafia da época.

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A logística, em 1917.

A Federação, no dia 02 de fevereiro de 1917, sexta-feira, noticiava:

Assistencia do Material da Brigada Militar

– O capitão Arlindo Franklin Barbosa, assistente do material da Brigada Militar, recebeu, hoje, no Thesouro do Estado a quantia de 12:356$666 para pagamento dos vencimentos dos officiaes do Estado-Maior, e 1:800$000 idem dos da Escolta Presidencial relativos ao mez findo.

– Convenientemente concertados nas officinas da Brigada, foram entregues: ao Deposito de Recrutas, 2 carroças de 4 rodas; ao Posto de Veterinaria, 1 dita; ao 3º Batalhão de Infantaria, 6 carabinas Mauzer e 1 carrinho de 2 rodas.

– O alferes commandante do destacamento do 2º Batalhão de Infantaria, no povoado do Picão, em Rocca Salles, communicou que recebeu, por intermedio da casa comercial dos srs. Fava & Toqui, a quantia de 2:329$300, liquido dos seus vencimemos e das praças do mesmo destacamento relativos ao mez de dezembro findo, de sua gratificação e das ditas praças relativa ao mez de novembro findo, tendo feito os respectivos pagamentos, sem novidade.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 029, de 02/02/1917, sexta-feira, página 4