Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Brigada Militar adquire metralhadoras, em 1911.

O Correio do Povo, no dia 2 de agosto de 1913, sábado, noticiava:

Metralhadoras para a Brigada

O Estado Maior da Brigada organizou um programma para as experiencias a serem feitas com as metralhadoras recentemente chegadas para os corpos dessa milícia. As experiencias serão feitas na linha de tiro da Chacara das Bananeiras.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Visita do Presidente do Estado, Borges de Medeiros, aos quartéis localizados na Chácara das Bananeiras – II

A Federação, no dia 28 de outubro de 1913, terça-feira, noticiava:

Linha de tiro da Brigada – Visita presidencial

Hontem, ás 7 horas da manhã, o dr. Borges de Medeiros, presidente do Estado, visitou a Linha de Tiro e deposito de recrutas da Brigada Militar do Estado. S. ex. foi acompanhado desde a sahida do palacio do Governo pelo srs. coronel dr. Cypriano da Costa Ferreira, commandante geral, tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, assistente do material, e alferes Jorge Pelegrino Castiglione, ajudante de ordens, e os drs. Protasio Alves, secretario do interior, Francisco Thompson Flores, chefe de policia, capitães Cassio Brum Pereira e Lóurenço Galant, ajudante de ordens e commandante da escolta. O trajecto da cidade á Linha de Tiro foi feito a cavallo, por toda a comitiva. No Parthenon, era s. ex. esperado por uma escolta de recrutas sob o commando do alferes Arthur Gomes Mariante.

O presidente do Estado foi recebido á chegada com as formalidades e honras devidas ao seu alto cargo, indo logo depois percorrer toda a Chácara das Bananeiras, nome porque é vulgarmente conhecido o sitio onde está localisada a linha de Tiro.

Na referida Linha aguardaram s. ex. o tenente Cicero Perfeito Ferreira, instructor e director da mesma e do deposito de recrutas, capitães instructores Emilio Lúcio Esteves, Anatolio Berckel, tenente Gaspar da Costa Ferreira e capitão Optaciano Ribeiro.

No stand do Tiro foi servido a s ex. e comitiva um lunch, findo o qual o presidente do Estado e comitiva assistiram ás experiências officiaes feitas com diversos typos de metralhadoras, adquiridas pela Brigada, dirigidas pelos citados officiaes.

O resultado das experiencias foi satisfactorio, devendo, posteriormente, resolver-se qual o typo que se deverá adoptar.

O presidente e comitiva visitaram a Linha do Tiro, plantações de forragens, deposito dos recrutas e de munições e outras dependencias ali em construcção e assistiram ao desfilar da força de cavallaria formada pelos recrutas, que fizeram diversos exercicios de equitação.

A’s 4 horas da tarde o presidente do Estado retirou-se com a sua comitiva, tecendo elogios a boa ordem e disciplina observadas em tudo quanto s. ex. tinha visto e examinado na Chacara das Bananeiras.

Despedindo-se, em Palacio, do coronel Cypriano, commandante da Brigada, e tenente Cicero, director da Linha de Tiro e deposito de recrutas, s. ex. reiterou esses elogios pela maneira por que é dirigido aquelle importante departamento da patriótica milicia estadual.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, edição 250, de 28/10/1913, página 5

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Visita do Presidente do Estado, Borges de Medeiros, aos quartéis localizados na Chácara das Bananeiras – I

A Noite, Rio de Janeiro, no dia 28 de outubro de 1913, terça-feira, noticiava:

O Dr. Borges de Medeiros e os recrutas da policia

PORTO ALEGRE, 28 (A.A.) – O presidente do Estado, Dr. Borges de Medeiros, visitou a chacara das Bananeiras, onde estão installados a linha de tiro e o deposito de recrutas. Após detido exame da linha, assistiu aos exercícios de infantaria e cavallaria feitos pelos recrutas, sendo depois iniciada a parte de exercicio com as metralhadoras que compõem uma secção da Brigada Militar. Foram ensaiadas tres metralhadoras dos typos Schwarzloze, americana; Bergmann, allemã; Colt, americana. Collocado um alvo a 500 metros de distancia, foram
disparados 8.000 tiros. As metralhadoras são automaticas, dando de 500 até 600 tiros por minuto e estão montadas sobre tripeças articuladas, podendo tomar qualquer posição.

As experiencias deram bom resultado. Em seguida o Dr. Borges de Medeiros regressou a esta capital.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Noite, Rio de Janeiro, edição 715, de 28/10/1913, página 3

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Seções de metralhadoras dos Corpos da Brigada Militar – exame

A Federação, no dia 02 de agosto de 1916, quarta-feira, noticiava:

 Exame das secções de metralhadoras dos Corpos da Brigada Militar – O nosso amigo tenente-coronel Affonso Emilio Massot, fez baixar, hoje, sob o número 82 a seguinte ordem do dia:

Exame das secções de metralhadoras dos corpos – Serão submetidas a exame as secções de metralhadoras dos corpos que que se acham no Grupo recebendo instrucção.

Esse exame, que terá a assistência dos srs. Comandantes de corpos, começará amanhã, quinta-feira, ás 14 horas, e continuará sexta-feira, ás 9 horas, obedecendo ao seguinte programma:

Parte I – Nomenclatura, montagem e desmontagem da metralhadora. Nomenclatura das armas (clavina, revolver ou sabre) de defesa individual.

Manuseio e funcionamento da metralhadora e machina de carregar.

Interrupções ocasionadas no tiro, suas causas e meio de corrigil-as.

Precauções a tomar, antes, durante e depois do tiro.

Ferramenta de urgencia e sua utilização.

Arreiamento e modos de arreiar. Reparo do rodado e modo de atirar.

Parte II – Instrucção moral. Noções de topografia. Orientação de dia e de noite.

Leitura de cartas. Transmissão de ordens. Avaliação de distancias pelos diversos processos, sem e com apparelhos.

Noções de tiro. Designação de objetivos e pontaria. Diversas espécies de tiro, seus efeitos e emprego. Propriedades geraes das metralhadoras.

Emprego táctico das metralhadoras. Conducta do fogo. Acção dos chefes durante o fogo.

Remuniciamento.

Parte III – Manejo para o fogo e evoluções.

Parte IV – Reconhecimento, escolha e occupação da posição, rompimento do fogo, de conformidade com a situação dada em thema.

Parte V – Material de sapa e sua utilização. Typos de entrincheiramentos rapidos e modo de occupal-os.

Parte VI – Tiro sobre alvos.

(Assignado)

Affonso Emilio Massot, tenente-coronel.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 178 de 02/09/1916, quarta-feira, página 6

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Metralhadoras adquiridas pela Brigada Militar

Correio, no Povo do dia 2 de agosto de 1913, sábado, noticiava:

Metralhadoras para a Brigada

O Estado Maior da Brigada organizou um programma para as experiencias a serem feitas com as metralhadoras recentemente chegadas para os corpos dessa milícia. As experiencias serão feitas
na linha de tiro da Chacara das Bananeiras.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.