Posts

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Aulas de esgrima mantidas pela Brigada Militar, no quartel do 1º Batalhão de Infantaria, em 1909.

Correio do Povo do dia 21 de abril de 1909 noticiava:

Sala d’armas – Reabrir-se-ão hoje, as aulas de esgrima mantidas pela Brigada Militar. Para tomar parte nos assaltos do dia, os diretores daquella sala convidaram varios cultores do elegante sport das armas de ponta, entre elles alguns civis, amadores da esgrima, de sabre e de florete. Alem do atractivo dos torneios, o acto reverstir-se-á de solemnidade, por ser commemorativo da morte de Tiradentes, data igualmente da fundação da sala de esgrima, no quartel do 1º batalhão da Brigada Militar.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A Instrução na Brigada Militar, em 1915.

A Federação, no dia 17 de abril de 1915, sábado, noticiava:

Exercícios na Brigada Militar

1º período de Instrução – 4ª parte

– Dia 16, 6ª feira –

INFANTARIA

Batalhão na semana de exercícios: 2º batalhão de infantaria.

Deixou do ir à Linha de Tiro, devido ao máo tempo, realisando-se unicamente os trabalhos do 2º tempo – instrucção theorica e moral, assim se fazendo no 3º tempo.

Batalhões na guarnição: 1º batalhão.

1º tempo – prejudicado pelo serviço de guarnição.

2º tempo – instrucção theorica e moral nas companhias.

3º tempo – exercício de signaleiros.

O commandante do corpo reuniu os officiaes para uma palestra militar, versando sobre “fortificação rápida”.

3º Batalhão – Montou a guarnição.
1º tempo – Movimentos livres de gymnastica.

CAVALLARIA

Escolta Presidencial – Tiro individual na Linha do Tiro.

METRALHADORAS

O grupo de metralhadoras realisou os seguintes trabalhos:

1º tempo – gymnastica com arma a um braço, manejo de fogo (clarins) e marcha de 30 minutos.

2º tempo – Theoria do tiro: justeza, rapidez, posições, grupamentos; noções de organisação do Exercito e da Brigada Estadual.

3º tempo – Manejo da peça, remuniciamento, evoluções de secção e marcha de 60 minutos.

Trabalhos diversos

No corrente mez estão indicados para prelecções medicas nos corpos e unidades especiaes o capitão medico dr. Silva Fróes; para exercicios de padioleiros no 1º batalhão o dr. Antenor Granja de Abreu, no 2° batalhão o dr. Antonio da Silva Fróes e no 3º batalhão o dr. Raymundo Bello Barbedo, todos medicos da força; para prelecções sobre hygiene odontologica o alferes dentista dr. Mario Carigé Gomes da Silva e para prelecções veterinarias no grupo de metralhadoras e escolta presidencial o alferes veterinário Francisco Monte.

Instrucção de metralhadoras e guia para trabalhos de campanha.

– Aos corpos da Brigada Militar e especialmente ao grupo de metradoras da mesma milícia serão brevemente distribuídos exemplares impressos da “Instrucção para o serviço das metralhadoras “Colt”.”

– Acha-se no prélo o “Guia para trabalhos de campanha”, que tambem brevemente será distribuído.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXII, edição 088, de 17/04/1915, sábado, página 1 – *mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Instrução de Natação na Brigada Militar, em 1914.

A Federação, no dia 29 de março de 1914, noticiava:

Exercicios na Brigada Militar

Dia 28

 No 1º Regimento de Cavallaria :

2º tempo – Revista de armamento e fardamento, nos esquadrões, pelos respectivos commandantes.

3º tempo – Natação pelos Sargentos e Cabos monitores.

No expediente houve uma palestra militar do commandante com os officiaes, versando sobre educação militar e deveres funccionaes.

 No 1º Batalhão de Infantaria:

7º dia da semana de exercicio.

Pessoal no quartel.

2º tempo – revista de armamento, equipamento e fardamento, nas companhias, pelos respectivos commandantes.

Pessoal na Linha de Tiro:

1º e 2º tempos – Tiro individual de carabina, para as praças, a 150, 250, 350 e 500 metros; avaliação de distancia; tiro do revolver para os officiaes, a 25 e 50 metros e tiro collectivo de ensaio para os pelotões a 500 metros. Marcha de regresso para o quartel.

Nos demais corpos, com excepção do que sahiu de guarnição, houve revistas de armamento, equipamento e fardamento.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 074, de 29/03/1914, domingo, página 7. *Mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – A instrução na Brigada Militar, em 1914.

A Federação, no dia 28 de março de 1914, sábado, noticiava:

Exercicios na Brigada Militar

Dia 27 – Sexta-feira

No 1º Regimento de Cavallaria:

1º Tempo – Gymnastica da 8ª série, esgrima de espada, manejo de fogo e marcha de 3 kilometros, pelo Alferes Apparicio Borges.

2º Tempo – 1ª parte (instrucção teórica): qualidades características do cavalo de guerra; 2ª parte (instrucção moral): sacrifícios pelo amor á Patria, exemplificação, pelos officiaes dos esquadrões, sob a fiscalização do Major Francisco Rath.

3º Tempo – Esquadrão (serviço de vedettas e exploradores) e marcha de 6 kilometros, pelo Alferes Barbosa.

No 1º Batalhão de Infantaria:

6º dia da semana de exercício.

Pessoal no quartel:

1º Tempo – Gymnastica da 3ª serie (arma e um braço), manejo d’arma e de fogo, voltas e conversões a 3 escolas e marcha de 3 kilometros, pelo Tenente Elias Gomes e pelo Alferes Firmino Rodrigues e Odorico Mendes.

2º Tempo – 1ª parte (instrucção teórica): “mascaras” e “cobertos”, sua utilização; 2ª parte (instrucção moral): respeito á Bandeira, d’onde a obrigação de sua continência, pelos subalternos das companhias, com a presença dos Capitães e fiscalização do Major Amadeu Massot.

3º Tempo – Companhia (serviço de sentinelas dobradas na rêde de segurança, constituição de um pequeno posto). Dobramento e desdobramento por esquadras e marcha de 5 kilometros pelo Capitão Adolpho Guedes de F. Menezes, auxiliado pelo Tenente Elias Gomes e Alferes Casimiro e Odorico.

Pessoal da Linha de Tiro:

1º Tempo – Tiro individual de carabina a 150, 250, 350 e 500 mestros; tiro de revólver, para officiaes, a 25 e 50 metros.

2º Tempo – Avaliação de distancias e saltos com deslocamento.

3º Tempo – Construcção rápida de trincheiras – abrigo por camaradas de combate, melhoramento dos perfis para os atiradores de joelho, servindo para abrigo e espera; preparação para o tiro á noite. Assalto á bayoneta fora das trincheiras e reconstituição das unidades por esquadras.

O exercício deste Tempo foi quase exclusivamente dirigido pelos Cabos chefes de esquadras, a cuja iniciativa foi ele entregue.

Os trabalhos correram com a máxima regularidade, tendo o instructor ahi presente, Capitão Anatolio Baeckel, felicitado vivamente os officiaes comandantes das companhias.

No 2º Batalhão de Infantaria:

1º Tempo – Gymnastica da 1ª serie (movimentos do tronco e das pernas)e manejo d’arma ao pessoal de folga, pelos inferiores, sob a inspeção do oficial de dia.

2º Tempo – Não houve, por estar o corpo de guarnição.

3º Tempo – Idem.

Das 15 ás 17 horas, regularização de cadencia para as bandas de musica e de corneteiros, pelo Capitão Francisco Varella, Ajudante.

No 3º Batalhão de Infantaria:

1º Tempo – Não houve, por ter sahido o corpo de guarnição.

2º Tempo – 1ª Parte (instrucção teórica): vozes de comando no tiro collectivo por descargas, sua influencia sobre os resultados; 2ª Parte (instrucção moral): a Bandeira e a Patria, lances heroicos, pelos subalternos das companhias, com a assistência e sob a fiscalização do Major Leopoldo Ayres de Vasconcellos.

3º Tempo – Escola de signaleiros a 8 grupos, por 5 subalternos e 3 inferioires. Emprego de 1 e 2 bandeirolas.

Das 17 ás 19 horas – regularização de cadencia para as bandas de musica e de corneteiros, exercício dado pelo Capitão Ajudante, David do Amaral.

Na Escolta Presidencial:

1º Tempo – Gymnastica da 1ª serie e esgrima de lança.

2º Tempo – 1ª Parte (instrucção teórica): nomenclatura da lança; 2ª Parte (instrucção moral): deveres para com o Estado e os cidadãos.

3º Tempo – Escola de Esquadrão (evolução e carga) pelo comandante Lourenço Galant.

Na Força da Chefatura:

Instrucção moral: deveres para com os cidadãos.

Na Invernada do Gravatahy:

Força acantonada (recrutas)

Desde 26 (quinta-feira), á tarde, acha-se acantonada nos prédios do Estado, na Invernada do Gravatahy, um esquadrão e uma companhia composta do pessoal recruta do Deposito, sob o comando do Tenente Cicero Perfeito Ferreira, auxiliado pelos Alferes Innocencio e Vasques.

Os exercícios realizados até agora constaram de uma marcha de guerra, serviços de sentinelas dobradas, vedettas, patrulhas, postos á cossaca e pequenos postos.

Seguir-se-ão exercícios de combate na defensiva , na ofensiva, na construção de trincheiras, etc.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 073, de 28/03/1914, sábado, página 6. *Mantida a grafia da época.

 

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Brigada Militar realiza instrução de tiro coletivo, em 1914.

A Federação, no dia 27 de março de 1914, sexta-feira, noticiava:

Tiro collectivo do 1º período, na Brigada Militar

Os batalhões da Brigada que concorrerão ao tiro collectivo na proxima semana deverão entrar em prova na seguinte ordem:

2º batalhão — segunda-feira
1º batalhão — terça-feira
3º batalhão — quarta-feira.

A Escolta Presidencial fará um tiro collectivo de ensaio quinta ou sexta-feira.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 072, de 27/03/1914, sexta-feira, página 1. *Mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Acampamento de Instrução para Recrutas da Brigada Militar, em 1914.

A Federação, no dia 27 de março de 1914, sexta-feira, noticiava:

Recrutas da Brigada Militar

Logo que o tempo se firme, o pessoal recrutado da Brigada Militar, formando unidades correspondentes á companhia e esquadrão, irá, sob o commando do diretor do Deposito, Tenente Cícero Ferreira, acampar durante 15 ou 20 dias no campo do Cortume em Gravatahy, ahi devendo receber instrucção dos diversos serviços de campanha.

É possivel que no mesmo local se effectue o exame de instrucção dos Recrutas, segundo exige o actual programma de exercício da Brigada Militar.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 072, de 27/03/1914, sexta-feira, página 5. *Mantida a grafia da época

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Tabela de continências da Brigada Militar, em 1910.

Correio do Povo, no dia 27 de março de 1910 noticiava:

Brigada Militar – A tabela de continencias adoptada actualmente na Brigada Militar estabelece continencia aos secretarios d”Estado, ao chefe de policia e aos membros da Assembléa do Estado e do Superior Tribunal do Estado, quando incorporados. Nos acompanhamentos e enterros, os officiaes e praças irão cobertos apenas se descobrindo nas egrejas e outros actos religiosos. Quando militares da Brigada enfrentarem um feretro, apenas farão continencia sem se descobrirem.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Torneio de Sinaleiros, em 1914

A Federação, no dia 26 de março de 1914, quinta-feira, noticiava:

Torneio de Signaleiros

Com o fim de pôr á prova o aproveitamento dos graduados e praças que fazem o exercício de signaleiros na Brigada Militar, serão opportunamente organizados torneios dentro de cada corpo e um final entre os corpos.

Nessas provas os concorrentes deverão transmitir e receber recados em tempo mínimo, demonstrando destreza e conhecimento das abreviaturas do código de signaes.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 071, de 26/03/1914, quinta-feira, página 6. *Mantida a grafia da época.

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Adoção de Guias de instrução para Trabalhos de Campanha e Esgrima de Espada, em 1915.

A Federação, no dia 12 de março de 1915, sexta-feira, noticiava:

GUIA PARA TRABALHOS DE CAMPANHA

Organizado pelos instructores da Brigada Militar, capitães Anatolio Baeckel, Emilio Lucio Esteves, Jayme da C. Pereira e tenente Cicero Perfeito Ferreira, foi apresentado ao Coronel Cypriano da Costa Ferreira, comandante geral da mesma milícia, o – Guia para trabalhos de Campanha – sendo por esta autoridade aprovado e mandado adoptar para os exercicos da aludida força.

O Guia compreende todos os trabalhos relativos á fortificação de campanha rápida e aos diversos processos de destruição, tratando ainda da passagem de cursos d’agua e trabalhos de bivaque.

A Brigada Militar é a primeira tropa do paiz que tem esta parte da instrucção regulamentada.

A Mesma ordem do dia que adoptou o “Guia” referido, fê-lo também em relação á esgrima de espada do capitão do Exército Domingos do Nascimento, tendo sido tal providencia proposta pelos instructores da milícia estadual.

 

Fonte: A Federação, Ano XXXII, Edição 058, de 12/03/1915, sexta-feira, página 5. * Mantida a grafia da época.

Atual instalações da Academia de Polícia Militar

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Tiro coletivo no 2º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, em 1914.

A Federação, no dia 06 de março de 1914, noticiava:

Tiro collectivo da Brigada

Sabemos que o 2º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, aquartelado em Sant’Anna do Livramento, concorrerá este anno ao tiro collectivo dos corpos dessa força, para o que com toda a actividade se prepara na linha de tiro recém construída por aquelle regimento.

É provável que o chefe dos instructores vá assistir á prova deste torneio para verificar o resultado obtido.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXI, edição 054, de 06/03/1914, página 5 – *mantida a grafia da época