Posts

O DIA 21 DE OUTUBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – Falecimento do Coronel Affonso Emílio Massot, em 1925

Há 93 anos, no dia 21 de outubro de 1925, quando exercia o cargo de Comandante-geral da Brigada Militar, faleceu o Coronel Afonso Emilio Massot.

Comandou a Brigada Militar por 10 anos, 7 meses e 21 dias.

Uma pequena biografia do Coronel Afonso Emílio Massot está disponível no livro No Ápice da Glória, disponível na  rede internet (páginas 45 a 57):

https://issuu.com/brigadiano/docs/no_apice_da_gloria

 

 

O DIA 15 DE OUTUBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – A denominação Brigada Militar, em 1892

Há 126 anos, conforme registra SIMÕES[1], “… a crise política que antecedera a Revolução de 1893 alterou a estrutura administrativa estatal até então vigente sob o manto da Carta Estadual de 1891, desconstituída pelo governo provisório que assumira. Em decorrência disso, dentre seus efeitos marcantes, atingia-se a organização policial-militar existente, nas questões organizacionais, com implicação em mudanças sucessivas de denominações, até que, por fim, com o restabelecimento do “governo castilhista”, a mesma instituição sofria novo processo de reorganização geral em 15.10.1892, dando lugar a uma nova organização que recebera a denominação na ocasião de Brigada Militar do Estado …”

O Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume I, páginas 62 a 73, disponível para acesso gratuito neste site, registra com detalhes este acontecimento da História da Brigada Militar.

[1] SIMÕES, Moacir Almeida, Brigada Militar: Trajetória Histórica e Evolução na Constituição, Porto Alegre, EDIPUCRS, 2014, páginas 119 a 132.

O DIA 11 DE OUTUBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – Criação do Curso Prático de Enfermeiros e Padioleiros, em 1916

Há 102 anos, a Brigada Militar criou um Curso Prático de Enfermeiros e Padioleiros.

O Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume I, página 502, faz o seguinte registro:

“A ordem do dia nº 102 de 11 de outubro, diz que “atendendo às vantagens indiscutidas de se ter na Brigada Militar enfermeiros e padioleiros educados e preparados como profissionais competentes, capazes de desempenhar as importantes funções que lhes incumbem, tornando-se bons auxiliares dos médicos no serviço sanitário militar, resolve o comando geral criar o “Curso Pratico de Enfermeiros e Padioleiros da Brigada Militar” anéxo ao Hospital.

O regulamento respectivo, publicado na referida ordem do dia, foi elaborado pelo capitão dr. Armando Bélo Barbedo, chefe interino do serviço sanitário.”

O Álbum Comemorativo aos 30 anos de criação da Brigada Militar contém as seguintes ilustrações, relacionadas ao mencionado Curso:

O DIA 7 DE OUTUBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – Criação do 3º Regimento de Cavalaria, em 1930

Há 88 anos, no decorrer da Revolução de 1930, foi criado o 3º Regimento de Cavalaria, organizado na cidade de Alegrete, onde permaneceu até o final da Revolução.

Em 9 de janeiro de 1931, este Regimento foi transferido para a cidade de Passo Fundo, onde chegou no dia 12 do mesmo mês.

Mais detalhes sobre este episódio da História da BM podem ser vistos no Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume III (páginas 74 e 87), disponível para acesso gratuito neste site.

Mais informações sobre a história do 3º Regimento de Cavalaria, hoje 3º Regimento de Polícia Montada (3º RPMon), podem ser acessadas em http://3rpmon.blogspot.com/p/historia.html

 

 

 

O DIA 04 DE SETEMBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – Combate de Santo Anastácio, Estado de São Paulo, em 1924.

Em 05 de julho de 1924, eclodiu um movimento revolucionário, em São Paulo.

O Governador do Estado do Rio Grande do Sul, “… ofereceu ao governo federal o concurso da Força Pública do Rio Grande, para auxiliá-lo na manutenção da ordem.”

Foi constituído um Grupo de Batalhões de Caçadores (GBC), comandado pelo Tenente-Coronel Emilio Lúcio Esteves, composto do 1º Batalhão de Caçadores (1º BC), comandado pelo Tenente-Coronel João de Deus Canabarro Cunha, do 2º Batalhão de Caçadores (2º BC), comandado pelo Tenente-Coronel Artur Otaviano Travassos Alves e de uma Companhia de Metralhadoras Pesadas (Cia Mtr P), comandada pelo Capitão Alzimiro Francisco Wellausen, totalizando 1.170 brigadianos.

No dia 13 de julho, o GBC, com 1.106 brigadianos, partiu à bordo do vapor Itaúba, para o porto de Rio Grande onde fez transbordo para o navio Poconé, chegando ao Rio de Janeiro em 19 de julho.

Suprido de material bélico, na noite de 21 de julho, o GBC partiu, por via férrea, para o Estado de São Paulo, onde passou a atuar, subordinado ao Comando da 2ª Região Militar.

No dia 23 de julho, começou a participar dos combates, na cidade de São Paulo, que resultaram na fuga dos rebelados para o interior do Estado.

No dia 04 de setembro de 1924, há 94 anos, às 16 horas, a vanguarda do 2º BC manteve contato com as forças rebeladas , na localidade de Santo Anastácio, onde travou-se renhido combate, que terminou às 21:30 horas.

Mais detalhes sobre este episódio da história da BM podem ser vistos no Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume II  e no Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume III (página 567), ambos disponíveis para acesso gratuito neste site.

Também o livro A História de um Vanguardeiro, Silva, Antonio Silveira da. Editora Evangraf.2007, uma Biografia do Coronel Mirandolino Machado, que participou do combate, traz muitas informações.

Em um cemitério, na cidade de Santo Anastácio, onde, na época, foram sepultados os brigadianos  mortos  no combate, há uma homenagem prestada pela comunidade e pelos Comandantes.

 

 

 

 

O DIA 1º DE SETEMBRO NA HISTÓRIA DA BRIGADA MILITAR – Inauguração do Estádio General Cipriano, em 1940.

No dia 1º de setembro de 1940, há 78 anos, foi inaugurado o Estádio General Cipriano.

“… Deveriam realizar-se, a 25 de agosto, na Chácara das Bananeiras, várias solenidades comemorativas ao Dia do Soldado. O mau tempo reinante naquele dia, determinou fossem transferidas para 1º de setembro.

Dentre as festividades, destacou-se a inauguração do Estádio General Cipriano Ferreira, …”[1]

[1] Esboço Histórico da Brigada Militar, Cel Aldo Ladeira Ribeiro, Vol III, página 430

Mais detalhes sobre este episódio da história da BM podem ser vistos no Álbum do Cincoentenário, com imagens da época (páginas 193 a 218) e no Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume III (páginas 430 a 432), ambos disponíveis para acesso gratuito neste site.

 

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Força da Brigada Militar guarnece os passos do Rio Pelotas, em 1918.

O Correio do Povo do dia 23 de agosto de 1918, sexta-feira, noticiava:

Grupo de bandoleiros

Vaccaria, 21 – Estou informado de que um grupo de bandoleiros chefiados por João Ruas. está sendo perseguido pela policia, em Santa Catharina e Paraná, havendo cuidado para não permittir a invasão no nosso Estado. Com esse fim, já foram guardados todos os passos do rio Pelotas, desde Pavão até o Barracão.

Tal serviço está sendo feito por uma força da Brigada Militar, commandada pelo capitão Cândido Mesquita, auxiliado por 15 civis armados. A séde deste municipio ficou guarnecida por uma força sob o commando do tenente Felippe. O delegado de policia, sr. Alipio Porto seguiu junto á força do capitão Mesquita.

Vaccaria, 22 – Até agora nada transpirou da diligencia da força da Brigada Militar que guarda o rio Pelotas afim de evitar a invasão de bandoleiros dos Estados do Paraná e Santa Catharina.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”

O dia 08 de agosto na História da Brigada Militar …

Dia estadual em homenagem ao Policial Militar morto em serviço.

Instituído pela Lei nº 15.156, de 24 de abril de 2018

*A data escolhida está relacionada ao episódio ocorrido em 08 de agosto de 1990, quando um Soldado da Brigada Militar foi morto com um golpe de foice desferido por integrantes do MST, no centro de Porto Alegre

O dia 04 de Agosto na História da Brigada Militar – A Enfermaria recebeu a denominação de Hospital.

A  Ordem do Dia nº 236, determinou que ” … o estabelecimento de saúde chamado “Enfermaria” se denominasse “Hospital”.

Fonte: Esboço Histórico da Brigada Militar, Volume I, página 408

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Policiamento da Brigada Militar em Lagoa Vermelha, em 1918.

O Correio do Povo do dia 12 de junho de 1918, terça-feira, noticiava:

Grupos de bandoleiros

Lagoa Vermelha, 11 – Chegou, hontem, aqui, trazendo uma força da Brigada Militar, o coronel Genes Bento, sub-chefe de policia, que aqui vem averiguar os casos de furtos de animaes em que estão implicadas pessoas deste municipio. O intendente, sr. Maximiliano de Almeida, recebeu aquella autoridade da estação de Erechim.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”