A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Iluminação elétrica da Chácara das Bananeiras

A Federação, no dia 26 de maio de 1916, sexta-feira, noticiava:

Illuminação Electrica da Chacara das Bananeiras

A visita oficial ao quartel da Brigada Militar e á usina electrica do Manicomio do Parthenon

Em novembro de 1915 o comando da Brigada Militar deste Estado publicou um edital chamando concurrencia para a execução da illuminacão electrica na Chácara mencionada. Foi tomado como base a installação de uma usina própria no terreno da Brigada. Na concorrência tomaram parte as firmas Alliança do Sul e Lima & Martins.

A primeira apresentou um orçamento na importância de 23:850$000, contra 22:870$000 da segunda.

Antes da assignatura do contracto as propostas foram submettidas a um estudo na secretaria das obras públicas, sendo ao mesmo tempo pelo sr. dr. Theophilo de Barros ventilada a questão da possibilidade da conducção da energia da Uzina existente no Hospício S. Pedro até a Chacara referida (uma distancia de cerca de 1.500 metros).

Tomando como base um novo projecto elaborado pela Alliança do Sul, e no qual foi considerado o aproveitamento do motor existente no Hospício S. Pedro como machina impulsora, foi annullada a primitiva concurrencia, sendo marcado um novo prazo para apresentação de propostas.

Na segunda concurrencia só tomou parte a Alliança do Sul, sendo a esta empreza confiada a execução das obras.

Hontem, em presença dos nossos amigos general Salvador Pinheiro Machado, illustre vice-presidente do Estado em exercício, coronel Affonso Emilio Massot, commandante da Brigada Militar, e do dr. Theophilo de Barros, engenheiro representante das obras publicas, de diversos officiais da Brigada e outros cavalheiros bem como dos engenheiros srs. Otto Weinstein e Jahir Sgrillo e o sr. Affonso Beck, estes ultimos representantes da firma mencionada, foi inaugurada a nova instalação, fazendo-se diversas experiências que deram os resultados os mais satisfactorios.

Em vista da distancia bastante grande para transmissão da corrente continua, da Uzina até o lugar de consumo, a installação foi executada pelo systema trifilar, com fio neutro em contacto com a terra. Dois pequenos dynamos de 4 KW cada um, trabalham em série, tendo-se com o emprego de um fio conductor de secção relativamente pequeno obtido uma perda de carga dentro dos limites admitidos. Os dois fios externos têm contacto com a terra, elles são alimentadas com 220 volts. A instalação deve pois, ser considerada sob todos os pontos de vista como de baixa tensão.

O impulso dos dynamos é feito por meio de uma correia de algodão da marca “Oxylo”, que trabalha como sem fim, distinguindo-se pela sua grande flexibilidade, sendo pois muito recommendavel para o impulso de machinas electricas em que o funccionamento suave é uma exigência principal.

Nas diversas dependências da Chacara das Bananeiras funccionam  no total 127 lampadas. Os instrummentos no quadro de distribuição mostraram que os dynamos ainda não estão carregados com a metade da energia que podem produzir, de fórma que existe uma regular reserva para um augmento no futuro.

Além da simplicidade da instalação, ainda offerece ella a vantagem do ser 9:000$000 mais barata, em relação ao preço orçado no projecto primitivo; tambem deve constatar-se que com o gasto de combustivel e de pessoal se obterá annualmente uma economia de cerca de 12:000$000.

O dr. Theophilo de Barros, ilustre engenheiro das obras publicas, e a firma Alliança do Sul, foram muito cumprimentados pela feliz solução que deram ao problema.

Para assistir o funcionamento das machinas aquella comitiva official esteve, depois de visitar as diversas dependências do quartel das Bananeiras, no Hospicio S. Pedro.

Nesse estabelecimento, o general Salvador Pinheiro Machado e o coronel Affonso Massot e as demais pessoas foram recebidas pelos nossos amigos drs. Deoclecio Pereira, illustre director do Hospicio S. Pedro e Carlos Penafiel, medico do mesmo manicomio e pelo sr. Antonio Viveiros, administrador, e outros funccionarios.

Na usina do manicômio do Parthenon, o general Salvador, depois de assistir o funccionamento das machinas, teve occasião de manifestar aos presentes a agradável impressão que lhe causara a boa disposição do novo serviço inaugurado.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXIII, edição 121, de 26/05/1916, página 7 – *mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Batalha de Tuiuty – comemoração

Correio do Povo, no dia 24 de maio de 1912 noticiava:

Batalha de Tuiuty

Em commemoração a batalha de Tuiuty, a maior victoria das armas brasileiras na guerra contra o Paraguay, o coronel Cypriano Ferreira, comandante da Brigada Militar, determinou que não haja expediente, hoje, nos quarteis daquella força.
Pela madrugada, as bandas de musica tocarão alvorada defronte aos seus quartéis.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 117 – nº 237 – PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, de de maio de 2012 – Coluna “Há um século no Correio do Povo”

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Libertação dos Escravos no Brasil – Comemoração

O Correio do Povo, no dia 13 de maio de 1916, sábado, noticiava:

13 de maio – O dia de hoje é feriado nacional, consagrado á commemoração do anniversario da Libertação dos Escravos no Brasil. Por esse motivo, as repartições publicas e as casas bancarias não darão expediente. O commercio fechará suas portas mais cedo. Em commemoração á data, haverá um festival na Associação Christã de Moços. A convite da directoria dessa agremiação, o illustre
escriptor patricio Alcides Maya realizará, em sua séde, uma conferencia sobre a data. A festa iniciar-se-á às 20 horas. As bandas de musica e de corneteiros dos corpos da Brigada Militar deverão tocar alvorada em frente aos respectivos quartéis.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – ANO 121 – Nº 226 – PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2016.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exercício do 3º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar

O Correio do Povo, no dia 12 de maio de 1911 noticiava:

Exercícios militares

O 3º batalhão de infantaria da Brigada Militar fez, hontem, uma marcha, como prova de resistencia, saindo do seu quartel á 1 hora da tarde. Aquelle corpo ia commandado pelo tenente-coronel Aristides da Camara e Sá, servindo de fiscal o capitão Leopoldo Ayres de Vasconcellos e de ajudante o tenente Olympio Santo. O 3º batalhão, ao passar pela estrada de rodagem em construcção em Belém Velho, fez alto, sendo inaugurado, nesse momento, pelo contratante, tenente-coronel Mauricio de Almeida, um trecho daquella via de communicação. O tenente-coronel Mauricio offereceu, aos officiaes e ás praças do batalhão, bebidas e doces. Foram tiradas varias photographias.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 116 – Nº 224 – PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 12 DE MAIO DE 1911.

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Acidente com automóvel do Hospital da Brigada Militar

Correio do Povo do dia 9 de maio de 1912, quinta-feira, noticiava:

Desastre por automovel – Ante-hontem, ás 4 1/2 horas da tarde, partiu da estação da estrada de ferro da Tristeza, o automovel que a Brigada Militar possue para o serviço de seu hospital, situado no Crystal. Além do chauffer, viajavam no automovel o dr. João Guilherme Ferreira, cirurgião dentista da Brigada, e duas praças. Ao chegarem emfrente ao Asylo de Mendicidade, seguia pela estrada um peão do general Salvador Pinheiro Machado, montado em um cavallo e conduzindo, a cabresto, dois outros animaes de raça. A approximação do automovel, os cavallos assustaram-se e dispararam, sendo o seu conductor cuspido fóra do animal, caindo entre os trilhos, ao longo destes, e muito perto do automovel, que se approximava, e que lhe passou por cima do corpo. Parado, rapidamente o vehiculo foi verificado estar aquelle peão com uma excoriação no lado direito da cabeça. Conduzido para o hospital da Brigada, ali lhe foi pensado o ferimento.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 117 – Nº 222 – PORTO ALEGRE, QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar combate ao contrabando, em Jaguarão

Correio do Povo do dia 09 de maio de 1908 noticiava:

Força da brigada militar – No vapor Brazil, seguirão amanhã, com destino a Jaguarão, 23 praças do 1º regimento de cavallaria da brigada militar, sob o commando do alferes João de Azevedo Machado. Essa força ficará naquella cidade á disposição do capitão Santos Filho, inspector fiscal da repressão do contrabando.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 113 – nº 222 – PORTO ALEGRE, 9 DE MAIO DE 1908.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Banda de música especial da Brigada Militar – Instrumental encomendado em Paris

Correio do Povo do dia 8 de maio de 1911 noticiava:

Bandas da Brigada

Consta-nos que já foi assignado, pelo presidente do Estado, o decreto creando a banda de musica especial da Brigada Militar. Dirigil-a-á o professor Pedro Borges, com a graduação de alferes. O governo do Estado já encommendou, para Paris, instrumental destinado á banda do 1º regimento de cavallaria.

*Mantida a grafia da época.

08 05 2016 - banda da bm

Banda da Brigada Militar

 

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 116 – Nº 220 – Porto Alegre, domingo, 8 de maio de 2011

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Hospital da Brigada Militar – Curso prático para enfermeiros

Correio do Povo do dia 7 de maio de 1916, domingo, noticiava:

 Curso pratico para enfermeiros

O dr. Armando Bello Barbedo, director interino do serviço sanitario da Brigada Militar, vae apresentar á apreciação do commando geral da Brigada, um projecto para a criação de um curso pratico para enfermeiros da referida milicia.

Segundo esse projecto as aulas praticas serão dadas no Hospital da Brigada Militar, pelo medico que estiver de dia no hospital.

O curso constará de noções de medicina, curativos e medicina de campanha, etc. Findo o curso, as praças que forem aprovadas passarão promptas, aptas para o serviço de enfermarias.

*Mantida a grafia da época

Hospital da Brigada Militar no cristal Porto Alegre

Hospital da Brigada Militar no cristal Porto Alegre

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 121 – Nº 220 – PORTO ALEGRE, SÁBADO, 7 DE MAIO DE 2016.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Estrada de rodagem construida pela Brigada Militar

Correio do Povo no dia 6 de maio de 1916, sábado, noticiava:

Estrada de rodagem de Porto Alegre a Bagé – Soube a nossa reportagem que o governo do Estado cogita da construcção de uma grande estrada de rodagem, que deverá ligar Porto Alegre á cidade de Bagé. O ponto de partida da nova estrada será a Barra do Ribeiro, 9o districto deste municipio. A nova estrada, que terá uma extensão de 100 leguas, approximadamente, será construida por praças da Brigada Militar. Segundo o plano traçado, a referida estrada deverá passar pelos municípios de S. João do Camaquam, Cangussú, Piratiny, Pinheiro Machado e Bagé, ponto em que vae terminar. Os estudos para a construcção dessa estrada estão sendo feitos pelo dr. Verissimo de Mattos, director da Directoria de Viação Terrestre da Secretaria de Obras Publicas.

*Mantida a Grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 121 – Nº 219 – PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 6 DE MAIO DE 2016

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Monumento ao General Osório

Correio do Povo no dia 3 de maio de 1916, quarta-feira, noticiava:

Monumento ao general Osorio – Por iniciativa de alguns officiaes do Exercito e da Brigada Militar, foi convocada uma reunião para tratar-se do levantamento de uma estátua á memória do general Osorio. Nessa reunião, que se realisou hontem, na séde do Club dos Officiaes Reformados, foi constituida a seguinte comissão provisória: capitão M. Faria Corrêa, presidente; major Augusto Januario Corrêa, thezoureiro; e capitão José Rodrigues Sobral, secretario. Como o numero de pessoas que compareceram fosse insignificante, apenas o necessário para o levantamento da idéa, tudo o que ficou resolvido foi em caracter provisório. O local em que será erigida a estatua ao bravo general será a actual praça General Osório (Alto da Bronze).

Monumento ao Gen Osório - 03 05 2016 B

A estátua de Osório acabou sendo erguida na Praça da Alfândega. A iniciativa da construção do monumento ressurgiu em 1929, liderada pelo general Cipriano da Costa Ferreira.  A obra, executada pelo escultor Hildegardo Leão Veloso, foi inaugurada (foto) em agosto de 1933.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – ANO 121 – Nº 216 – PORTO ALEGRE, TERÇA-FEIRA, 3 DE MAIO DE 2016

Hoje, ver: http://arquivopoa.blogspot.com.br/2014/05/estatua-do-general-osorio.html