A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Concerto da Banda de Música da Brigada Militar, em 1917

A Federação, no dia 26 de maio de 1917, sábado, noticiava:

Brigada Militar

Boletim de hoje:

Hoje, às 19,30 horas, uma grande banda de musica, constituída de elementos das 3 bandas da Brigada, dará um concerto na Exposição Permanente, sob a regência do respectivo inspector Alferes Pedro Correa Borges, constando do seguinte programma: 1ª – Sambre et Meuse, pas Redoblé; 2ª – Simphonia Força do Destino; 3ª – Pout-pourri do Guarany; 5ª – Simphonia “Tutti in Maschera”; 6ª – Racconto de Lohengrim; e 7ª – Valsa Tentação.

Fonte: A Federação, Anno XXXIV, Edição 121, de 26/05;1917, sábado, pág. 4. *Mantida a grafia da época

 

Sambre et Meuse – https://www.youtube.com/watch?v=e1o2AxHksRU

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Barraca portátil em experiência, no Depósito de Recrutas, em 1914

A Federação, no dia 15 de maio de 1914, sexta-feira, noticiava:

Parecer sobre barraca

Assignado pelos intructores da Brigada Militar, capitães Anatole Baeckel, Emilio Lucio Esteves e Jayme da Costa Pereira, foi entregue ao coronel Cypriano Ferreira, commandante geral da mesma força, o parecer sobre a barraca portátil de que se fez experiencia no mez findo no Deposito de Recrutas. Ao parecer acompanha uma referencia ao tôldo para oficial de tropa, ideiado pelo capitão do Exercito Optaciano Ribeiro e experimentado com bom resultado nas ultimas manobras em Gravatahy.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 113, de 15/05/1914, sexta-feira, pág. 8. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Novos uniformes da Brigada Militar, em 1909

Correio do Povo, no dia 15 de maio de 1909 noticiava:

EXPOSIÇÃO AGRO-PECUARIA

Além da guarda de honra do Tiro Brazileiro, formará, por occasião da Exposição Agro Pecuaria, a 24 do corrente, o piquete do presidente do Estado e uma companhia do 1º batalhão da Brigada Militar. Essas forças trajarão o novo uniforme da Brigada. …

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Desastre com automóvel da Brigada Militar, em 1912

Correio do Povo, no dia 9 de maio de 1912, quinta-feira, noticiava:

Diversas

Desastre por automovel – Ante-hontem, ás 4 1/2 horas da tarde, partiu da estação da estrada de ferro da Tristeza, o automovel que a Brigada Militar possue para o serviço de seu hospital, situado no Crystal. Além do chauffer, viajavam no automovel o dr. João Guilherme Ferreira, cirurgião dentista da Brigada, e duas praças. Ao chegarem em frente ao Asylo de Mendicidade, seguia pela estrada um peão do general Salvador Pinheiro Machado, montado em um cavallo e conduzindo, a cabresto, dois outros animaes de raça. A approximação do automovel, os cavallos assustaram-se e dispararam, sendo o seu conductor cuspido fóra do animal, caindo entre os trilhos, ao longo destes, e muito perto do automovel, que se approximava, e que lhe passou por cima do corpo. Parado, rapidamente o vehiculo foi verificado estar aquelle peão com uma excoriação no lado direito da cabeça. Conduzido para o hospital da Brigada, ali lhe foi pensado o ferimento.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Bandas da Brigada Militar na abertura da Exposição Agropecuária, em 1909

Correio do Povo, no dia 9 de maio de 1909 noticiava:

Exposição agro-pecuária – Sabemos que a abertura da exposição agro-pecuaria será solemne, presidindo-a o dr. Carlos Barbosa, presidente do Estado e comparecendo ao acto altas autoridades civis e militares e as quatro bandas da Brigada Militar. Hontem ficou definitivamente resolvido que o certamen seja inaugurado a 24 do corrente. …. .

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar reprime o contrabando em Jaguarão, em 1908.

Correio do Povo, no dia 09 de maio de 1908 noticiava:

 Força da brigada militar – No vapor Brazil, seguirão amanhã, com destino a Jaguarão, 23 praças do 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, sob o commando do alferes João de Azevedo Machado. Essa força ficará naquella cidade á disposição do capitão Santos Filho, inspector fiscal da repressão do contrabando.

 

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. * Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exames para candidatos ao posto de Alferes, na Brigada Militar, em 1915.

A Federação, no dia 08 de maio de 1915, sábado, noticiava:

Exames práticos

O resultado dos exames práticos para o posto de Alferes, hontem realizados na Brigada Militar, foi o seguinte:

Aprovados simplesmente – 4

Reprovados – 2

Desistiram do exame – 2

Hoje haverá prova oral para o candidato ao posto de Capitão.

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 104, de 08/05/1915, sábado, pág. 6. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Oficiais do Exército instrutores da Brigada Militar, em 1915 – II

A Federação, no dia 08 de maio de 1915, sábado, noticiava:

Instructores da Brigada

Apresentaram-se, hontem, ao Secretário de Estado, dr. João José Pereira Parobé, na ausência do dr. Presidente do Estado, os officiaes do Exército: 1º Tenente Anatolio Baeckel e 2º Tenentes Emilio Lucio Esteves e Jayme da Costa Pereira, os quaes, por permissão do Ministro da Guerra, deverão exercer funções de Instructores da Brigada Militar estadual, cumulativamente com os serviços federaes inherentes aos postos que têm.

Esses officiaes acham-se adidos ao Quartel General desta Região.

Fonte: A Federação, Anno XXXII, Edição 104, de 08/05/1915, sábado, pág. 5. *Mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Banda de Música da Brigada Militar, em 1911

Correio do Povo, no dia 8 de maio de 1911, domingo noticiava:

Bandas da Brigada

 

08 05 2016 - banda da bm

Banda da Brigada Militar
Crédito: FOTO MUSEU DA BRIGADA MILITAR

Consta-nos que já foi assignado, pelo presidente do Estado, o decreto creando a banda de musica especial da Brigada Militar. Dirigil-a-á o professor Pedro Borges, com a graduação de Alferes. O governo do Estado já encommendou, para Paris, instrumental destinado á banda do 1º Regimento de Cavallaria.

Fonte: Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”. *Mantida a grafia da época.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – Revista aos Corpos da Brigada Militar e desfile, em 1914

A Federação, no dia 08 de maio de 1914, sexta-feira, noticiava:

Brigada Militar — Formatura em parada

Com um effectivo de 1035 homens, constituindo 3 Batalhões de Infantaria a 4 Companhias e 1 Regimento de Cavallaria a 4 Esquadrões, formou em parada para revista no Campo da Redempção, hontem, ás 14 ½ horas, em uniforme 4º, conforme fôra determinado em detalhe do serviço, a Brigada Militar do Estado.

A força formou em linha desenvolvida, a cavallaria em batalha, occupando toda a extensão que vae pela avenida Sant’Anna desde o Collegio Militar, onde se apoiou a direita occupada pelo 1º Batalhão de Infantaria, até as immediações do Instituto Technico Profissional, onde se achava a esquerda da cavallaria.

De armas descançadas, com o intervallo entre si de 30 passos, aguardavam os corpos a chegada do commandante geral para prestar-lhe a devida continência.

A’s 14 1/2 horas em ponto approximava-se da força o coronel Cypriano Ferreira e seu Estado-Maior e ao distar 50 metros do centro da linha, todos os Corpos, da direita para a esquerda, fizeram braço-arma e apresentar-arma.

Correspondendo á continência com a mão direita, assumiu o Coronel Cypriano o commando da tropa em parada, fazendo os Corpos em seguida braço arma.

Teve, então, inicio a revista.

O Estado-Maior collocou-se á direita de toda a linha e o commandante geral percorreu toda a força da direita para a esquerda, tocando a Banda de Musica de cada Corpo um dobrado quando esta antoridade se approximava 10 metros do flanco direito, sendo ali recebido pelo comandante, que o saudava e acompanhava do lado exterior até 10 metros além do flanco esquerdo, quando a musica deixava de tocar, regressando o commandante ao seu lugar, após nova saudação de espada.

De modo semelhante procederam todos os Corpos á passagem do commandante geral pela retaguarda.

Terminada a revista mandou o commandante geral descançar-arma, fazendo em seguida, por intermedio do assistente do pessoal e ajudante de ordens, chegar suas determinações aos comandantes de Corpos.

Teve lugar, então, o desfilamento, a infantaria por pelotões e cavallaria por quatro, seguindo toda a força pela rua da República, Campo da Redempção, Praças Independencia e Conde de Porto Alegre, ruas Duque de Caxias, General Canabarro, Andradas e Independencia até a Praça D. Sebastião.

Ao enfrentar ao Palacio do governo, achando-se em uma das janellas o dr. presidente do Estado, a tropa prestou-lhe as devidas continências marcadas na tabella.

Na praça D. Sebastião, determinou o commandante geral o deslocamento das forças, a seus quartéis, tendo a mesma autoridade recebido de cada Corpo que se retirava a continência regulamentar.

O asseio da tropa, quer quanto ao uniforme, quer quanto ao armamento ou arreiamento, nada deixou a desejar, e a firmeza com que se apresentou na parada e o garbo e desembaraço que demonstrou na marcha, effeito de um treinamento methodico e continuo, mereceram louvores.

Fonte: A Federação, Anno XXXI, Edição 107, de 08/05/1914, sexta-feira, pág. 5. *Mantida a grafia da época