A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Escolta Presidencial – 1ª aniversário de criação – festejos.

A Federação, no dia 26 de janeiro de 1917, sexta-feira, noticiava:

Escolta Presidencial

Os festejos do 1º anniversario da sua organização

Com máximo brilhantismo, realizaram-se, hontem, os festejos do anniversario dessa disciplinada unidade da Brigada Militar do Estado, intelligentemente commandada pelo nosso amigo capitão Lourenço Galant.

A’s tres horas da tarde, presentes o coronel Massot, commandante da Brigada, seu estado-maior, commissões do todos os corpos, pessoas gradas e um nosso representante, inaugurou o capitão Galant os retratos do general Salvador Pinheiro Machado, vice-presidente do Estado e do coronel Massot, na sala de honra dessa corporação, sendo ao decerrarem-se as cortinas que os occultavam, tocado o hymno Rio Grandense, ouvido de pé pelos presentes.

Em seguida, no pateo do quartel, onde se achavam formados, usando do seu novo uniforme de agradável aspecto, as praças cantaram os hymnos da Republica, Rio Grandense, e diversas canções e marchas patrioticas e que sob a batuta do maestro alferes Pedro Borges, conduziram-se do modo mais satisfactorio possivel, sendo muito applaudidos.

Em seguida, foram os presentes convidados a passarem para o picadeiro, onde deveriam realizar-se diversas proesas de equitação, as quaes agradaram bastante, especialmente o assalto de dois cavaleiros, de espada contra um cavalleiro de lança, em que foi vencedor o cabo lanceiro Antonio Vaz Pimentel, que mostrou-se digno da arma que empunhava, a qual maneja com excelente maestria e firmeza.

Referencias elogiosas também mereceu o sargento Saturnino CavaIheiro Ramos, que num assalto espada (a cavallo), conduziu-se de modo irreprehensivel, vencendo o seu contendor com a maxima facilidade.

Houve tambem um assalto de espada (a pé) em que sahio vencedor o soldado Avelino Figueiredo.

Foram apresentadas diversas escolas de esgrima de espada, equitação e gymnastica, respectivamente, sob o com mando dos 2ºs sargentos Saturnino Ramos, Juvenal Pereira e sargento-ajudante Cassiano Martins, que, por terem apresentado conjunctos verdadeiramente uniformes e intelligentemente instruídos collocou os presentcs na difficuldade de não poderem destacar qual o melhor. Conduziram-se todos com correcção e disciplina, correspondendo, desse modo, aos esforços do seu provecto commandante, capitão Galant, que assim viu coroado de franco exito o seu trabalho árduo e fatigante, na nobre e proveitosa missão de instruir soldados.

Seguiram-se os pareos de natação, pela primeira vez effectuados, nesta capital, por forças militares, e que muitas vantagens trazem á educação physica do soldado, especialmente do soldado montado, e que foram vencidos em distancias de 180 e 150 metros, por inferiores e praças da escolta.

Desses pareos, que eram em numero de tres, foram vencedores:

Do 1º: em primeiro logar o sargento Saturnino Cavalheiro Ramos e em 2º o sargento ajudante Cassiano Martins.

Do 2º: em primeiro logar o cabo Nascimento Correa de Hollanda e em 2º o soldado Bolivar Farrapo Leiria.

Do 3º: em primeiro logar o soldado João Manoel Cezar e em 2º o soldado Alfredo Diniz.

Terminadas essas diversas partes do programma, que funda e agradavelmente impressionaram os que tiveram o prazer de assistil-as, foi pelo commandante Galant offerecido aos presentes delicada mesa de doces e líquidos, tendo se trocado diversas saudações.

Ás muitas felicitações recebidas pelo nosso amigo capitão Galant, pelo brilhante modo porque commemorou o anniversario da organização da Escolta Presidencial, ajuntamos as nossas.

Publicamos a seguir o discurso da inauguração dos retratos, proferido pelo capitão Galant, e a ordem do dia, sob n. 21, por elle baixada.

“Commemorando hoje mais um anniversario da organisação da Escolta Presidencial, resolvi inaugurar neste gabinete de trabalho os retratos do exmo. sr. general Salvador Ayres Pinheiro Machado, vice-presidente do Estado, e do sr. tenente-coronel Affonso Emilio Masso, commandante geral da Brigada.
Tem rasão plausivel a inauguração dos retratos dessas duas autoridades..

O primeiro, quer no cargo de vice-presidente do Estado, em exercicio, no impedimento do benemerito dr. Borges do Medeiros, quer como commandante geral da Brigada, tratou com carinho o desvelo a força publica do Rio Grande, procurando melhorar, cada vez mais, as suas condições.

O segundo, tenente-coronel Massot, tem serviços relevantes ao Estado, prestados na Brigada e no alto cargo de commandante geral, mais se tem revelado o carinho que elle dispensa ás unidades que compõem esta gloriosa força republicana.

Talvez que esta minha homenagem, expressão sincera do meu sentir, melindro a modéstia dos homenageados; mas essas demonstrações de respeito e gratidão são muito necessárias para servirem de exemplo ás gerações vindouras.

Penso haver cumprido o meu dever com este acto de inteira justiça.”

Quartel do Commando da Escolta Presidencial, em Porto Alegre, 25 de janeiro de 1917.

Ordem do dia n. 21.

Para conhecimento e devida execução, publico o seguinte:

Commemoração.

Camaradas! Passando, hoje, mais um anniversario da organização desta Escolta que é um dos elementos componentes da Brigada Militar do Estado, regosijo-me comvosco por este facto de tanta significação para nós. Unidade destinada á guarda presidencial, tem sabido ella, até hoje, desempenhar cabalmente a funcção que lhe compete. E assim mais uma vez aproveito a opportunidade para reiterar os conselhos quo vos tenho dado no sentido de vos conduzirdes sempre dentro dos limites do cumprimento do dever.

Liberdade. Em commemoração á data de hoje dou liberdade á todas as praças desta unidade, que se acham cumprindo castigo correccional. (Assignado) –  Lourenço Galant, capitão.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIV, edição 023, de 26/01/1917, sexta-feira, página 3

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *