A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Mensagem do Presidente do Estado à Assembleia dos Representantes

A Federação, no dia 19 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

MENSAGEM DO PRESIDENTE DO ESTADO*

*“Mensagem enviada á Assembléa dos Representantes do Estado do Rio Grande do Sul pelo Vice-Presidente em exercício, general Salvador Ayres Pinheiro Machado, na 4ª Sessão Ordinária da 7ª Legislatura, em 20 de setembro de 1916.”

BRIGADA MILITAR

A força publica do Estado tem-se mantido sempre no mesmo apuro de disciplina e de instrucção, obedecendo a excellente organização.

Milicia abnegada e valorosa, desde a sua formação, quando composta em periodo agitado e de transição da nossa vida politica, continua a prestar, como elemento de manutenção da ordem, extraordinários serviços á causa publica.

Quando as instituições riograndenses que nos regem foram perigosamente ameaçadas por assaltos de natureza material, a Brigada Militar, deste Estado, concorreu extraordinariamente para reforçar o governo legal que entre nós conseguiu defender e consolidar o regimen republicano.

É de hontem esse saliente papel desempenhado pela patriótica milícia estadual, que, então, se bateu com o maior denodo o ardor, em sangrenta campanha, pela victoria da nossa causa republicana.

Terminada a lucta, com o mesmo garbo de outrora, melhorando, dia a dia, dentro dos limites da maior economia, a situação desses desinteressados servidores da pátria, o benemerito governo do Rio Grande do Sul mostrou, de constante, o maior empenho em dar aos soldados da Brigada Militar – bom alojamento, boa comida, bom vestuário e bom hospital.

Dentro do possível, dentro do exequivel, dentro do que de perto se refere às conveniencias do momento, ás necessidades reaes do Rio Grande para o serviço de manutenção da sua ordem interna, todas as grandes aspirações de sua força publica teem sido attendidas.

A conducta da Brigada Militar, em todos os tempos, quer dos officiaes, quer dos seus soldados, tem sido exemplar, o que honra o Rio Grande e o renome de que goza a sua brilhante milícia estadoal.

Disciplinada, ordeira, bem apparelhada e competentemente dirigida, quer na séde dos seus corpos, nesta capital, e outras cidades, quer nos seus diversos destacamentos, quer durante as diligencias que lhe têm sido commettidas,- o mesmo attestado de bôa conducta e de exacto cumprimento do dever tem sido passado por autoridades federaes, estaduaes e municipaes, de  modo honroso para a valorosa Brigada Militar.

Os nossos amigos, coronel Affonso Emilio Massot, que exerce actualmente o alto commando geral dessa milicia, e, respectivamente, seus auxiliares, os commandantes de corpos, tenente-coronel Francelino Cordeiro, do 1º batalhão de infantaria, major Gregorio Portuguez, interino do 2º batalhão de infantaria, tenente-coronel Aristides da Câmara e Sá, do 3º batalhão de infantaria, tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, do 1º regimento de cavallaria, tenente-coronel Juvencio Lemos, do 2º regimento de cavallaria, capitão Mirandolino Machado, do Grupo de Metalhadoras, o capitão Lourenço Galant, da Escolta Presidencial, – teem mantido e estão imprimindo uma excellente feição moderna no que tóca á instrucção militar dos seus subordinados, seja na sua parte pratica, seja quanto ao seu ensino theorico e educação moral.

Os officiaes do Exercito que prestam serviço na força estadoal como instructores, assim se exprimiram no relatório concernentes ao ultimo exercício de 1915, tratando das revistas de instrucção que encerraram o respectivo anno de preparação militar:

“Os resultados não podiam ser melhores. Os programas que mandastes executar, o foram fielmente, e em um dos corpos em revista, o exame durou três dias, tal o rigor observado. Si bem que ainda incompletos, feitos a titulo de experiência, os programas eram relativamente vastos e nos corpos da capital as revistas duraram do amanhecer até a tarde, quase sem descanso.”

Si, por um lado, isso fala muito bem sobre a instrucção da força, por outro lado no atinente a sua disciplina, as referencias officiaes e extra-officiaes, são todas deste theor:

“A exclusão do pessoal vicioso, a seleção na admissão do voluntariado, a difusão do ensino nas escolas regimentaes, contribuindo para diminuir a percentagem de analphabetos, a instrucção moral por meio de palestras, são, sem duvida, factores importantes que muito teem influído para tornar cada vez mais digna de nota a conducta militar do Soldado da Brigada.

A imprensa, quer da capital, quer da campanha, mesmo aquella que nos é mais infensa, dificilmente registra ocurrencias que possam ferir a fundo a força publica do Estado, quanto á sua disciplina.

Tem sido inalterada a harmonia que conserva a Brigada Militar com as demais corporações armadas da Republica.

Elemento de ordem, de contribuição valiosa e util á estabilidade e a uma bôa organização social, eis o que a respeito da Brigada Militar consigna a eloquente mensagem do nosso illustre amigo general Salvador Pinheiro Machado, vice-presidente do Estado, em exercicio, em um dos seus capitulos:

“Esta milicia continua a manter os créditos que soube firmar pela sua disciplina exemplar, instrucção e moralidade.

Compõe-se de corpos de infantaria, na Capital, de dois regimentos de cavallaria; o 1º estacionado provisoriamente no Rosario, para onde seguiu, por motivos de ordem publica, em outubro do anno passado, e o 2º em Livramento, desde sua organisação, em fevereiro de 1913.

Ambos têm prestado bons serviços, attendendo com presteza ás necessidades que reclamam seu auxilio.

Pelo decreto n. 2.172, de 25 de janeiro ultimo, foi dada nova organização á Brigada, supprimindo a grande banda e passando a escolta presidencial a formar uma unidade á parte, desligada do effectivo do 1º regimento.

Deram bons resultados as revistas de instrucção, com que foi encerrado o anno de preparação militar, effectuadas nos corpos, em substituição ás manobras de conjuncto. Para obtenção desse resultado muito concorreram os commandantes de corpos e chefes de unidades e os officiaes do Exercito, instructores militares.

A instrucção da força é dada nas escolas regimentaes e a dos officiaes e inferiores no Curso de Ensino, recentemente crendo, que funcciona á noite, em salas da Escola Complementar.

A biblioteca da força possue 512 obras com 805 volumes.

A machina “Sub Target” vinda dos Estados Unidos foi ensaiada com êxito no preparo da tropa no tiro de guerra verificando-se pela sua aplicação, completa economia em munição e apreciáveis resultados, obtidos em porcentagem nos diferentes alvos.

Na chacara das Bananeiras foi preparado um campo de demonstração de trabalhos de campanha, no qual as praças apprendem directamente a construir trincheiras, fortificações, rêdes de fio de arame farpado e varios outros meios de organisar defezas e occultarem-se ás vistas do adversario.

Os estabelecimentos militares ali situados receberam diversos melhoramentos, dentre os quaes destaca-se a illuminação electrica, inaugurada em 27 de maio ultimo.

Naquelle proprio do Eistado, que possue regular extenção de terras, onde se faz plantio reproductico de forragens, vae ser ensaiada a cultura de diversos arvores.

Foram melhoradas varias dependencias do Hospital, onde a assistência medica é assidua e proficua.

Infelizmente o tuberculoso continua a offerecer o maior quociente na mortalidade, entre os incapacitados e mortos fez 81 victimas, sendo 70 daquelles o 11 destes.

Por decreto n. 2.107, de 26 de setembro do anuo passado, foi expedido o regulamento para os internos do mesmo Hospital.

Os quartéis dos corpos estacionados na capital receberam reparos e melhoramentos indispensáveis, estando próxima a conclusão do da chacara das Bananeiras, onde acha-se alojado o Grupo de Metralhadoras.

O de Santa Maria está sofrendo reformas para alojar o 1º regimento de cavallaria.

O 2º regimento da mesma arma continua occupando ainda o quartel provisorio, de madeira.

Em 29 de outubro do anno findo, expedi decreto regulamentando o serviço interno do picadeiro.

Annexo ao quartel de infantaria funcciona o posto medico-cirurgico, creado para attender os casos de urgência.

Além do serviço que lhe é peculiar, a Brigada fez guarda aos estabelecimentos federaes em novembro e dezembro de 1915 e acompanhou naquella época, com elogiosas referencias do chefe da Região Militar as manobras das forças do Exercito.

No intuito de adestrar as praças no serviço e obras de sapa, acompanhando de perto os modernos methodos de guerra, e aproveitando simultaneamente, esses trabalhos para beneficiamento de estradas de rodagem e canaes, o Governo do Estado, traduzindo o pensamento do preclaro Presidente dr. A. A. Borges de Medeiros, resolveu fazer seguir para Conceição do Arroio e Guaporé contingentes da força publica, que ali se acham em plena actividade.

A disciplina rigorosa, a exclusão do pessoal viciado, a selecção na admissão do voluntariado, a diminuição da porcentagem de analphabetos e a educação moral, por meio de palestras sobre assumptos nacionaes, tem sido factores poderosos e que muito contribuíram para o justo renome da força.

**Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edições 224, de 27/09/2016, pág. 1 e 243, de 19/10/1916, quinta-feira, pág.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *