A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Brigada Militar comemora a data da Proclamação da República, em 1916.

A Federação, no dia 16 de novembro de 1916, quinta-feira, noticiava:

Na Brigada Militar do Estado tambem se comemorou condignamente a data de hontem.

O tenente-coronel Affonso Emilio Massot, comandante geral interino, baixou a seguinte ordem do dia:

“Conforme fiz publicar em ordem do dia de hontem datada vamos hoje, ornar o salão de honra do quartel do Commando Geral com o retrato do Exmo. Sr. General Salvador Ayres Pinheiro Machado, Vice-Presidente do Estado, em exercício.

Esta homenagem que prestamos á S. Ex., aproveitando a passagem da grandiosa data do advento republicano em nossa Patria, é merecida e justa.

Todos vós, meus camaradas, conheceis os serviços que este ilustre patrício tem prestado ao nosso querido e glorioso Rio Grande do Sul tanto na paz, como na guerra, com devotamento decidido
patriotismo inescedivel.

Muitos de vós serviram sob suas ordens durante o periodo revolucionário de 93 a 95, que maus patrícios provocaram, ensanguentando o solo da amada terra natal numa luta de mais dois annos.

Todos nós servimos sob seu commando quando o nosso maior amigo, que foi Julio de Castilhos, o nomeou chefe interino da Brjgada Militar, num momento em que esta corporação acabava de dar as
mais eloquentes provas de sua lealdade ao Governo o de uma recta compreensão de seus deveres.

Na curul* presidencial é notável sua abnegação patriótica e interesse pelos negócios públicos.

Com relação á nossa força é grande o carinho com que a trata, interessando-se por todos os assumptos que se prendem a ella.

Todos estes titulos recomendam o integro rio-grandense ao alto apreço e especial consideração da Brigada Militar.

Dahi a razão desta merecida e justa homenagem.

Viva o Exmo. Sr. General Salvador Ayres Pinheiro Machado!

(Assignado) – Affonso Emilio Masssot, tenente-coronel.”

O acto effectuou-se ás 10 horas, na presença do homenageado e de toda a officialidade da Brigada Militar.

Foi offerecida ao general Salvador uma taça de “champagne”, trocando-se, por essa occasião, varios brindes.

Durante a solennidade tocou uma banda de musica.

As festas no quartel do Grupo de Metralhadoras tiveram inicio ás 10 horas, com vários exercícios de gymnastica applicada, por uma escola de cabos de esquadra, sob a direcção do capitão Pedro Vaz Ferreira Filho.

Em seguida houve gymnastica militar por uma escola de inferiores, commandada pelo tenente José Freire de Oliveira e Souza.

Esgrima de bayoneta, por uma escola constituída de inferiores e sob a direcção do alferes Tito Ribeiro.

A representação do um drama e comedia, cantos, etc., se realizou em um dos salões destinados á refeição. Ali se achava armado artisticamente um palco.

Nas paredes, bem ornamentadas viam-se muitos escudos com expressivos dizeres, entre os quaes notamos os seguintes : “Viva a Republica”, “Viva a memória do marechal Deodoro”, “Reviva Rio Branco”, “Viva o Exercito”, “Viva a memória de Julio de Castilhos”, “Viva o Rio Grande do Sul”, “Viva a imprensa”, “Viva a Brigadn Militar”, “Viva a memória de Tiradentes”, “Salve 7 de Setembro”.

Em esgrima de espada, bateram-se os 2º sargentos Saturnino Cavalheiro Ramos e João Simões Appolinario, que executaram diffíceis movimentos.

Na corrida em saccos realizada por 6 inferiores, saiu vencedor o furriel Hary Soares Pereira.

Nas corridas com obstáculos, por 6 inferiores, saiu vencedor o 2º sargento Manoel Dutra da Rosa.

Na corrida livre em 1.000 metros, feita por inferiores, saiu vencedor o 2º sargento Antônio Fagundes Teixeira.

Foi feita tambem gymnastica desarmada por uma escola de 15 menores de 10 annos, sob a direcção do alferes Tito Ribeiro.

Houve também uma corrida livre entre menores, saindo vencedor o menino José Flores, filho do capitão Franco Flores.

Ás 18,45 minutos chegavam ao quartel o presidente do Estado, dr. Borges de Medeiros, general Salvador Pinheiro Machado, vice-presidente em exercido, do Estado, drs. Protasio Alves e Marinto Chaves, secretários do Interior e da Fazenda, que foram recebidos com as honras que lhes cabem.

Ás 8 horas teve começo a sessão solenne, sendo concedida a palavra ao orador official Cincinato Antonio Soares, que produziu vibrante o patriotico discurso, sendo muito aplaudido.

O 2º Batalhão de Infantaria meIhorou o rancho, tendo sorvido ás praças farta mesa de doces e líquidos.

As companhias, amanheceram embandeiradas interna o externamente, salientando-se a 1ª, comandada pelo capitão Jayme Francisco Rasteiro, a qual collocou no centro do alojamento das praças aparatoso tropheo, no qual se viam os retratos do generalissimo Deodoro da Fonseca, marechal Floriano Peixoto, dr. Borges de Medeiros, senador pinheiro Machado, rico quadro representando a proclamação da Republica e duas estatuetas representando a Liberdade e a Paz.

O gabinete do capitão Rasteiro também se apresentava festivo, havendo uma homenagem dedicada ao tenente-coronel Affonso Emilio Massot, que consistia no retrato em rica moldura, e enfeitado com rosas brancas e outras flores delicadas.

Ás 8 horas formou uma guarda de honra, sob o commando do capitão Jeremias José Tavares, tendo como subalternos o tenente Odorico Gregorio dos Santos, alferes Julio José Beckhausen e Cândido Benites Guimarães, a fim de desfilar em frente á estatua do dr. Julio de Castilhos, tendo a companhia cantado o hymno da Proclamação da Republica, em fronte ao monumento do Patriarcha.

Ás 11 horas, em formatura do batalhão, o alferes Cândido Benites Guimarães fez uma prelecção allusiva á magna data.

O commando do batalhão publicou uma ordem do dia tratando da data e dos factos importantes referentes ao dia 15.

* Curul = cadeira de pessoa importante

**Mantida a grafia da época.

 

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 265, de 16/11/1916, quinta-feira, página 7

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *