A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Curso de Enfermeiros e Padioleiros da Brigada Militar.

A Federação, no dia 23 de outubro de 1916, segunda-feira, noticiava:

Curso pratico de enfermeiros e padioleiros da Brigada Militar – Em reunião dos officiaes do Serviço Sanitário da Brigada Militar ficou deliberado a distribuição abaixo mencionada das diversas cadeiras do Curso pratico de enfermeiros e padioleiros da Brigada Militar:

Aulas

– Conhecimento das diversas disposições em vigor, observadas no serviço sanitario da Brigada que tenham relação com o cargo de enfermeiro – Professor –  capitão dr. Armando Bello Barbedo.

– Noções elementares indispensáveis de physiça e chimica. Cuidados aos doentes de affecções internas. – Professor – dr. Antonio da Silva Fróes.

– Deontologia. Deveres dos enfermeiros militares. Moral profissional. Noções geraes e indispensáveis de hygiene militar. Prophylaxia. – Professor – capitão dr. Cândido Ferreira dos Reis.

– Noções elementares de pequena cirurgia. Cuidados aos doentes, de affecções externas. Apparelhos, Soccorros medico-cirurgicos de urgência; meios existentes e improvisados.  – Professor – Capitão dr. Antenor Granja de Abreu.

– Noções elementares indispensaveis de anatomia e physiologia. Cuidados aos doentos de olhos, ouvidos, nariz e garganta.  – Professor – dr. Adalgiso Ferreira de Souza.

– Noções elementares de Pharmacia, urologia e toxicologia. Professor – Alferes pharmaceutico João Patricio Ramirez.

– Noções praticas de odontologia e de hygiene e cuidados da bocca. – Professor – Alferes dentista, Mario Carigó Gomes da Silva.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 246, de 23/10/1916, segunda-feira, página 3

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Corridas de velocidade no 1º Batalhão e no 3º Batalhão da Brigada Militar.

A Federação, no dia 23 de outubro de 1913, quinta-feira, noticiava:

Corridas de Velocidade

Os 1º e 3º batalhões da Brigada Militar que, hoje, estiveram no exercício de tiro collectivo, na Chacara das Bananeiras, realisaram á tarde diversas corridas de velocidade, sendo os prêmios, em dinheiro, offerecidos pela officialidade.

Resultado das corridas realisadas pelo 1º batalhão:

1º Pareo – Capitão Guedes, 150 metros, 1ª companhia. Vencedor: soldado Ramiro de Lima. Premio 5$000.

2º Pareo – Capitão Correa, 150 metros, 2ª companhia. Premio 5$000. Vencedor: Soldado Mario Bueno Chaves.

3º Pareo – Tenente Brazil, 150 metros, 3ª companhia. Premio 5$000. Vencedor: Cabo Manoel Vieira.

4º Pareo – Tenente Pulcherio, 150 metros, 4ª companhia. Premio 5$000. Cabo Nascimento de Hollanda.

5º Pareo – Tenente Cicero, 150 metros (Deposito de Recrutas). Premio 5$000. Vencedor Soldado Francisco José dos Santos.

6º Grande pareo – Tenente coronel Fancelino (composto dos vencedores) 150 metros. Premio 10$000. Vencedor: Cabo Nascimento de Hollanda.

7º Pareo de Inferiores, 150 metros. Premio 10$000. Vencedor: 2º sargento Avelino Bernardes, do Deposito de Recrutas.

8º Pareo California (geral), 150 metros. Premios 10$000 e 5$000. Vencedores: em 1º lugar soldado do Deposito de Recrutas, Florisbello A. d’Oliveira; em 2º lugar, soldado do 1º batalhão, Ladislau J. dos Santos.

9º Pareo – Capitão Emerenciano, 150 metros, entre músicos e corneteiros. Premio 5$000. Vencedor: corneteiro Izidro Vieira, do Deposito de Recrutas.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, edição 246, de 23/10/1913, quinta-feira, página 6.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exercício de Tiro Coletivo para o 1º Batalhão e para o 3º Batalhão da Brigada Militar.

A Federação, no dia 23 de outubro de 1913, quinta-feira, noticiava:

Tiro collectivo

Realizou-se, hoje, na linha de tiro da Chacara das Bananeiras, o exercício de tiro collectivo para os 1º e 3º batalhões da Brigada Militar.

O exercício foi feito nas seguintes condições: alvo a 500 metros, ordem dispersa, fogo á vontade com 5 cartuchos por atirador, em 1 minuto.

Resultado:

1º batalhão: 74, 0,6% em pontos, 15, 24% de impactos nas silhuetas e 32, 16% no quadro.

Neste batalhão, conseguiram o 1º lugar, respectivamente, a 2ª companhia, do commando do Capitão Januario Correa e o pelotão da mesma companhia, commandado pelo sargento ajudante Marcellino.

No 3º batalhão tiveram idêntica classificação a 1ª companhia do commando do capitão Francisco Varella e o 2º pelotão da mesma companhia, do commando do tenente João Ruiz, que alcançou a porcentagem de 42,85%, que é quase o máximo nesse gênero de exercício.

Por emquanto está em 1º lugar o 1º batalhão, do commando do tenente coronel Francelino Cordeiro e que é detentor do bronze – “A Victoria”.

Amanhã fará exercício o 2º batalhão e no dia 21, o 1º regimento.

Os corpos têm feito os exercício equipados em ordem de marcha.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal A Federação, edição 246, de 23/10/1913, quinta-feira, página 6.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exercícios na Brigada Militar

Exercicios na Brigada

4º Periodo de Instrucção

2ª parte

MEZ DE OUTUBRO DE 1916
CAVALLARIA

2º regimento

Dia 9  

1º tempo – Esgrima e manejo de espada e repetição da instrucção individual.

2º tempo – I. T. – Armamento, nomenclatura da clavina – I. M. – Honras militares.

3º tempo – Avaliação de distancias e entrincheiramento rapido.

Dia 10

1º tempo – Gymnastica com arma, das 2ª e 3ª series e manejo da clavina.

2º tempo I. T. – Armamento, nomenclatura da espada. – I. M – Abnegação o constancia.

3º tempo – Avaliação de distancia:e entrincheiramento rapido.
Dia 11

1º tempo – Equitação: posição do tronco e pernas, maneira de governar, de montar e de apear, trote, elevado, etc.

2º tempo – Ensaios da banda de clarins, versando sobre toques regulamentares

3º tempo – Prelecção allusiva à data de 12 de outubro.
Dia 13

1º tempo – Gymnastica das 2ª e 3a series e manejo de armas.
2º tempo – I. T. – Montagem da clavina – I. M. – Tenacidade

3º tempo – Evoluções, escolha de posições, modo de occupal-as, para a seccão de metralhadoras.

Dia 14

2º tempo – Revista de fardamento e equipamento.

 1º regimento

2º tempo – Revista do regimento passada pelo comandante.

3º tempo-Palestra militar sobre orientação e avaliação de distancias.

Dia 16

1º tempo – Gymnastica das 1ª, 2ª e 3ª series e manejo de fogo. Equitação.

2º tempo – I. T. – Nomenclatura da clavina e  da espada. – I. M. – Disciplina.

3º tempo — Exercício geral em ordem unida e dispersa, realizando-se uma marcha de guerra e resolvendo-se um thema de dupla acção entre dois esquadrões.

3ª parte

ESCOLTA PRESIDENCIAL
Dia 17

1º tempo

– Tiro collectivo na ordem unida e dispensa, na Linha de Tiro da Brigada.

3º tempo

– Escola do pelotão, a pé, na ordem unida e dispersa.
GRUPO DE METRALHADORAS

2º tempo – I. T. – Serviço de guarnição (guardas, sentinellas e patrulhas).  – I. M. – Noções de organização do Exercito e da Brigada Militar.

3º tempo – Exercício de evoluções do Gripo, para 5 secções.
ESCOLTA PRESIDENCIAL


Dia 18

1º tempo – Exercicio de equitação no Picadeiro da Brigada e no Pateo do Quartel.

3º tempo – Exercício de Signaleiros diurno.

GRUPO DE METRALHADORAS
1º tempo

– Gymnastica da 2ª serie; manejo d’arma; repetição da instrucção individual e marcha de 30 minutos.

2º tempo – I. T. – Material de sapa e de destruição (seu emprego e fins). I. M. – Noções de Historia Patria.

3º tempo – Signaleiros diurno e exercicio no Picadeiro da Brigada.

INFANTARIA

Dia 17

1º batalhão

2º tempo – I. T.  – Pequena táctica, por perguntas e respostas, estacionamento, bivaque, theoria do tiro, exercicio de pontaria e nomenclatura do revolver Smith & Wesson. – I. M. – Regulamento penal, Hymno Osorio, deveres de subordinação, canto e deveres das praças da secção de metralhadoras, quando em campanha.

2º batalhão

2º tempo — I. T. – Serviço de campanhia: sentinelas dobradas, e suas obrigações. – I. M. –  Disciplina.

Para a secção do metralhadoras. Nomenclatura dos mechanicos, manobra e de remuniclamento; desmontagem geral da metralhadora; evoluções com os carros e sem elles.

Dia 18

1º batalhão

2º tempo – Para a secção de metralhadoras: Manejo da peça a pé, nomenclatura do cano, das talas e da caixa do mechanismo da culatra. – I. M. – Subordinação.

2º batalhão

A’s 6 horas, o batalhão, equipado a meia marcha, seguiu para a linha de tiro, a fim de fazer exercicios, regressando ás 18 horas.

3º batalhão

– 2º tempo – Revista de armamento, fardamento e equipamento.

DEPOSITO DE RECRUTAS

Dia 17

1º tempo: – Gymnnstica das diversas sérios e esgrima de bayoneta.

2º tempo – I. T. – Serviço de campanha (sentinellas, rondas e patrulhas). – I. M. – Deveres para com os camaradas.

3º tempo –  Ordem unida e dispersa; manejo do armas e manejo para o fogo.

Dia 18

1º Tempo – Gymnastica das séries e manejo d’armas.

2º tempo – I. T. – Serviço de entrincheiramento rapido e emprego da ferramenta de sapa. – I. M. – Deveres de humanidade para com os prisioneiros e feridos.

3º tempo – Ordem unida e dispersa e manejo de armas.

No picadeiro houve exercicio de equitação para uma escola de 8 praças, da Escolta Presidencial.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 244, de 20/10/1916, sexta-feira, página 3

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Policiamento da cidade de Santa Maria será feito pela Brigada Militar.

Correio do Povo, no dia 15 de outubro de 1916, domingo, noticiava:

O policiamento de Santa Maria – O dr. Astrogildo de Azevedo, intendente municipal de Santa Maria vae acabar com o actual policiamento da cidade, feito por agentes da guarda administrativa.

Para isso pedirá elle ao governo do Estado um destacamento da Brigada Militar, composto de 60 praças, a quem será confiado o policiamento e o serviço de guarda aos presos da cadeia civil.

Os agentes que compõem a guarda administrativa serão aproveitados para o policiamento da estação da Viação Ferrea, onde será mantido um serviço completo.

 

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

(Publicado na edição de 15/10/1916, domingo, reproduzindo notícia  de fato ocorrido no dia 13/10/1916)

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Primeiro Batalhão e Primeiro Regimento da Brigada Militar participam de manobras militares.

Correio do Povo, no dia 12 de outubro de 1909 noticiava:

Manobras

Sabemos que o 1 batalhão de infantaria e um esquadrão do 1 regimento da Brigada Militar tomarão parte nas manobras que o 56 de caçadores realisará a 16 do corrente, nos suburbios desta capital.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Atendimentos no Hospital da Brigada Militar.

A Federação, no dia 07 de outubro de 1916, sábado, noticiava:

Do boletim de hoje, da Brigada Militar

O capitão chefe do serviço sanitário communicou que, durante o mez findo, foram victimas de accidentes nas proximidades do hospital da Brigada, tendo sido medicados n’aquelle estabelecimento visto necessitarem de soccorros urgentes, as seguintes pessoas: Felicia Alves da Silva, lavadeira, apresentando um ferimento inciso na região frontal, com 9 centimetros de extensão e 3 de profundidade; Belarmino José de Almeida, capataz de uma turma de trabalhadores da estrada de Ferro do Riacho á Tristeza, com um ferimento contuso na palma da mão direita.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 233, de 07/10/1916, sábado, página 1

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – O poeta Olavo Bilac, visita quartéis da Brigada Militar.

A Federação, no dia 05 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

 Visita aos quartéis da Brigada Militar   – Olavo Bilac, o insigne poeta nacional, nosso hospede, desde domingo último, continua sendo alvo de innumeras demonstrações de apreço, que partem de todas as classes sociaes.

Hontem, consoante dissemos em ligeira notícia de última hora, visitou ele os quarteis da Brigada Militar do Estado, para o que fora convidado pelo comandante geral dessa milícia, tenente-coronel Affonso Emilio Massot.

A’s 14 horas, o coronel Massot, acompanhado do seu estado-maior, vários officiaes e representantes da imprensa, foi ao Grande Hotel buscar o ilustre poeta, que se declarou inteiramente ao dispor da commissão.

Após alguns minutos de palestra, Bilac, acompanhado do nosso collega Emilio Kemp, representante da comissão central de festejos ao poeta; dr. Affonso de Aquino e coronel Massot, tomou assento ao automovel designado para leval-o aos pontos de visita.

A esse vehiculo, seguiam-se mais três em que iam os tenentes-coroneis Claudino Nunes Pereira e Francelino Cordeiro, respectivamente comandantes do 1º regimento de cavalaria e do 1º batalhão de infantaria da Brigada; major Leopoldo Ayres de Vasconcellos, capitães Candido Pinheiro de Barcellos, secretario do comando geral e Candido Machado, assistente do Pessoal, alferes Pelegrini Castiglione, Justo Gonçalves, d’ “O Diário”, Moacyr Godoy, do “Correio do Povo” e Aldo Mota, desta folha.

Pouco depois das 15 horas, chegavam todos ao quartel dos 2º e 3º batalhões de infantaria, á Praia de Bellas.

Ahi, já se achava formado o 3º batalhão, sob o comando do tenente-coronel Aristides da Câmara e Sá.

Os visitantes foram recebidos por toda a officialidade daqueles corpos, penetrando no quartel, cujas dependencias percorreram todas.

No pateo, os soldados, formados cantaram o hymno a Bento Gonçaves, do grande poeta gaúcho Zeferino Brasil.

Em seguida, Olavo Bilac teve ocasião de apreciar varios exercícios de gymnastica, recebendo as melhores impressões.

Findos os exercícios e após serem tiradas photographias dos visitantes, dirigiram-se estes para o salão de honra do quartel, onde foram servidos líquidos.

Foi visitado, em seguida, o quartel da escolta presidencial, em cujo picadeiro um pelotão ás ordens do alferes Paulino Leite Sobrinho fez varios exercicios de equitação.

Quasi ás 16 horas, retiraram-se todos para o grupo de metralhadoras e deposito de recrutas da Brigada, na chacara das Bananeiras, sendo ahi recebidos pelos respectivos commandantes capitães Mirandolino Machado e José Rodrigues Sobral.

Á frente do estabelecimento achava-se uma força de 50 homens que prestou as continências do estylo.

Bilac e os seus companheiros de visita percorreram demoradamente toda a linha de tiro, quartel dos recrutas e grupo de metralhadoras. Neste, foram feitos exercícios de tiro.

No picadeiro do depósito de recrutas, o alferes Hippólito Ferreira fez vários exercícios de quitação.

Ás 17 horas voltaram todos á cidade, indo até o quartel do 1º batalhão de infantaria, onde os recebeu o respectivo comandante, tenente-coronel Francelino Rodrigues Cordeiro.

Os soldados, formados no pateo, cantaram, então, um hymno patriótico, letra de Zeferino Brazil.

Depois de percorridas todas as dependencias do vasto quartel, o festejado poeta foi conduzido até ao salão de honra, onde foi servida uma taça de champagne.

O tenente-coronel Massot, fazendo uso da palavra, saudou Olavo Bilac e agradeceu a honra de sua visita.

Bilac respondeu agradecendo, comunicando as suas impressões, que disse serem as melhores possíveis.

Por fim, já ás 18 horas, Olavo Bilac foi acompanhado até o Grande Hotel, onde se hospeda.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 231, de 05/10/1916, quinta-feira, página 1

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Brigada Militar constrói canal fluvial IV

A Federação, no dia 05 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

Trabalhos da Brigada Militar

CONCEIÇÃO DO ARROIO, 4 – Os trabalhos do destacamento da Brigada Militar no Caconde prosseguem activamente. Já foi concluída toda a desmatação para o canal traçado.  Em breve iniciarão a excavação e remoção de terra. Nota-se animação da população pelo desempenho dos trabalhos.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 231, de 05/10/1916, quinta-feira, página 1

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – O poeta Olavo Bilac visita os quartéis da Brigada Militar.

A Federação, no dia 04 de outubro de 1916, quarta-feira, noticiava:

Olavo Bilac – O illustre poeta Olavo Bilac, que se acha entre nós desde 1º do corrente, continua a receber as homenagens que lhe estavam preparadas.

Hontem, á noite, Olavo Bilac assistiu o espectáculo que em sua honra a empresa do Theatro Petit Casino e a companhia dramática do dr. Christiano de Souza levaram a effeito.

Foi representada a comedia de Dumas Filho – “O amigo das mulheres” –, que muito agradou.

Nas duas sessões a concorrência ao Petit Casino foi extraordinaria.

Hoje, ás 13 ½ horas, o tenente-coronel Affonso Massot, comandante geral interino da Brigada Militar, foi acompanhado dos commandantes de corpos e outros officiaes daquella milícia, buscar o ilustre poeta no Grande Hotel a fim de leval-o em visita aos quarteis daquella corporação.

O illustre poeta visitou, tambem, a linha de tiro da Brigada Militar.

 

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 230, de 04/10/1916, quarta-feira, página 5