A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Capitão da Brigada Militar, do 1º Regimento de Cavalaria, foi delegado de polícia em Conceição do Arroio.

A Federação, no dia 27 de outubro de 1916, sexta-feira, noticiava:

Inspecção de Saúde – O Capitão do 1º regimento de cavalaria, Antonio Mariante, apresentou-se, hoje, ao comando geral da Brigada Militar, por ter sido dispensado da comissão de delegado de polícia, que exercia em Conceição do Arroio, declarando, porém, achar-se doente, compareceu hoje á sessão da Junta Médica, a fim de ser inspeccionado de saúde.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 250, de 27/10/1916, quinta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Mudança do 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar, para Santa Maria – III.

A Federação, no dia 27 de outubro de 1916, sexta-feira, noticiava:

1º regimento de cavalaria

Segundo comunicação recebida no Quartel-General da Brigada Militar, desde hontem, o 1º regimento de cavalaria, sob o comando do tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, está aquartelado na cidade de Santa Maria.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 250, de 27/10/1916, sexta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO – … Mudança do 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, para Santa Maria – II

Correio do Povo, no dia 26 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

1º regimento de cavallaria da Brigada – Conforme determinação do commando geral da Brigada Militar, o 1º regimento de cavallaria, commandado pelo tenente-coronel Claudino Nunes Pereira, e que se achava aquartelado no Rosário, deverá transferir hoje, o seu aquartelamento para Santa Maria. O 1º regimento que se achava naquella villa ha mezes, aguardando as obras mandadas fazer por conta do governo no edificio escolhido para quartel do corpo em Santa Maria, fossem concluidas. A transferencia do regimento será feita a cavallo em ordem de marcha.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Objetos remetidos para o 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar

A Federação, no dia 26 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

Objectos remetidos para o 1º Regimento da Brigada Militar

A Assistencia do Material da Brigada Militar remeteu, hoje, para o 1º regimento de cavalaria da Brigada Militar, fornecidos a diversas repartições e praças, 100 tunicas, 100 calças, e 100 capas mescla e 200 pares de botinas, 3 pares de botas comuns, 1 par de botinas comuns, 2 chapéus de panno, 1 calça de brim branco, 2 calças de mescla, 2 tunicas de dito, 6.000 cartuchos Mauzer, modelo brasileiro, 6 varetas de aço para clavinas e 3 latas de coro-noleum.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 249, de 26/10/1916, quinta-feira, página 4

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Mudança do 1º Regimento de Cavallaria da Brigada Militar, para Santa Maria – I

A Federação, no dia 26 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

O 1º Regimento da Brigada muda-se para Santa Maria

Rosário – 26 – Seguiu hoje para Santa Maria o 1º regimento de cavalaria da Brigada Militar.

Grande foi o número de pessoas que foi á estação se despedir dos officiaes e praças.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 249, de 26/10/1916, quinta-feira, página 2

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Soldado do 3º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar, condenado pelo crime de deserção é posto em liberdade.

A Federação, no dia 26 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

Soldado posto em liberdade

Foi posto, hoje, em liberdade, por ter concluido a pena do 8 1/2 mezes de prisão a que foi condemnado pelo conselho militar a que respondeu, por crime de deserção, o soldado do 3º batalhão de infantaria da Brigada Militar, addido ao grupo de metralhadoras, Fulano de Tal**, que foi excluído do estado effectivo da brigada e do corpo a que pertence, por não convir sua permanencia nas fileiras desta força.

*Mantida a grafia da época.

** Omitido o  nome

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 249, de 26/10/1916, quinta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Destacamento do 2º Batalhão de Infantaria da Brigada Miltar, em Roca Sales.

A Federação, no dia 26 de outubro de 1916, quinta-feira, noticiava:

Exercicios – O Alferes comandante do destacamento do 2º batalhão de infantaria da Brigada Militar, em Rocca Salles, povoado do Rincão, remeteu á secretaria do comando geral da Brigada Militar a parte dos exercícios realizados pelo pessoal do dito destacamento, durante o mês findo.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 249, de 26/10/1916, quinta-feira, página 5

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Autorização para 2º Sargento amanuense contrair matrimônio.

A Federação, no dia 25 de outubro de 1916, quarta-feira, noticiava:

Casamento dum official inferior da Brigada Militar — No requerimento do 2º sargento amanuense Fulano de Tal**, pedindo permissão para contrair matrimonio com a senhorita Beltrana de Tal**, exarou o comando geral da brigada o seguinte despacho: “Concedo a licença solicitada.”

*Mantida a grafia da época.

** Omitidos os nomes.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 248, de 25/10/1916, quarta-feira, página 4

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Desfile do 2º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar, em Sant’Anna do Livramento.

A Federação, no dia 25 de outubro de 1913, sábado, noticiava:

Parada Militar

Na parada que, a 12 do corrente, effectuou-se em Sant’Anna do Livramento, formaram os corpos da guarnição federal e o 2º regimento de cavallaria da Brigada Militar, este sob o commando do tenente coronel Juvencio de Lemos e com um effectivo de 250 homens, inclusive a banda de musica.

A parada esteve brilhante, apresentando-se ambas as forças com correção e disciplina.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal A Federação, edição 248, de 25/10/1913,sábado, página 3.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – 124º Aniversário de criação do 1º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar

A Federação, no dia 24 de outubro de 1916, terça-feira, noticiava:

Brigada Militar

Anniversario do 1º Batalhão

A 21 deste mez completou o vigesimo quarto anno de sua organisação o 1° batalhão de infantaria da Brigada Militar do Estado.

Sem apparato, mas com brilho e bastante significação, foi hontem commemorada esta data anniversaria no quartel em que estaciona o valoroso corpo da tropa estadual.

Às 11 horas, achando-se reunidos o tenente-coronel Francellino Rodrigues Cordeiro, comandante do batalhão e respectiva officialidade, os representantes dos comandantes da Brigada e do 3º batalhão de infantaria e mais os officiaes do Exército que servem como instructores, dirigiram-se todos ao gabinete do comandante, onde aquelle chefe fez inaugurar o retrato do tenente-coronel Affonso Emilio Massot, actual commandante geral, fazendo-se ouvir como interprete dessa solennidade o alferes secretario Antônio Dias de Oliveira, que produziu o seguinte discurso:

Senhores officiaes – Distinguido por generosidade do illustre comandante do batalhão para dirigir-vos algumas palavras nesta solenidade, aqui me tendes, não para proferir um discurso, porque
para isso falta-me competência, sim para, como soldado, cumprir essa missão tão espinhosa. Neste dia que commemoramos o 24º anniversario de existencia deste batalhão, nos achamos reunidos aqui deste aprazível recinto para inaugurarmos o retrato do nosso preclaro  chefe, tenente-coronel Affonso Emilio Massot.

Fallar, senhores, deste militar distincto, apreciar com firmeza de caracter a sua orientação no comando da Brigada, tocar na sua administração, tudo isso não é cousa tão fácil para a minha obscura individualidade analysar.

Entretanto algo devo dizer a respeito da sua acção proveitosa na missão de que ele se acha investido já que me é offerecida opportunidade; porem direi tão somente aquillo que de sobejo, o conheceis.

Ahi está a olhos nús a fecundidade da sua administração, a clareza de seu largo tirocinio de militar insigne e a demonstração cabal do seu alevantado preparo intellectual.

Srs.  A Brigada Militar que desde longos annos, isto é, desde a sua organização, vinha sendo commandada por valorosos officiaes do glorioso Exército brasileiro, tendo, tido como commandante, de corpos, fiscaes e até ajudantes, officiaes do mesmo Exército, progrediu de uma maneira assombrosa, alcançando um elevadissimo gráo de instrucção e disciplina. Agora que não somos comandados por esses bravos servidores da pátria; agora que temos como commandante um brilhante official do quadro, a Brigada Militar continua obtendo, os mais extraordinarios progressos, mantendo as suas praças a mesma norma de conducta, sem que hajam se desviado uma só linha do cumprimento do dever militar.
E tudo isso em consequencia do que? Em consequência de ser esse official que se acha no comando da Brigada um administrador modelar, competentíssimo.

A vista disso é que devemos nos ufanar, congratular e multiplicar mesmo os nossos esforços, cooperando sempre para elevarmos ainda mais o conceito que gosa a Brigada Militar.         .

Srs. É pelos motivos acima alludidos que hoje rendemos este preito de gratidão ao excelso commandante da Brigada Militar, collocando o seu retrato entre os filhos mais illustres desta grande terra, dos quaes destacarei o saudoso patriarcha dr. Julio Prates de Castilhos, o preclaro estadista dr. Antonio Augusto Borges de Medeiros e o patriota inexcedivel, immaculado, (permitam que me alongue) o maior e mais extraordinário dos brazileiros, o republicano inigualável, imagem da República, symbolo da Pátria – senador José Gomes Pinheiro Machado, que foi tão miseravelmente , traiçoeiramente assassinado em consequência de conchavos políticos de políticos degenerados, ambiciosos, sendo-lhe desferido o golpe fatal por um individuo vulgar, sem pátria e até sem vida.

Senhores. Inaugurando, pois o retrato do benemérito comandante da Brigada, julgamos ter-lhe prestado uma elevada e bem merecida homenagem, á altura da sua personalidade de militar austero, galhardo e experimentado na lucta. Tenho dito.

Fazendo em seguida uso da palavra recordou o commandante Francellino os  nomes e os feitos dos grandes servidores da força pública do Rio Grande, terminando por abraçar os officiaes do Exército presentes, como representantes da corporação a que pertencem  muitos daqueles. Em brilhante improviso, contestou o  2º tenente Jayme da Costa Pereira, extendendo-se em considerações politicas e militares atinentes ao acto, finalizando com uma saudação ao egrégio chefe, dr. Borges de Medeiros, saudação enthusiasticamente  correspondida.

Inaugurando o retrato do actual commandante geral, como acima ficou dito, fizeram-se todos, em direção ao pateo do quartel, onde, formando quadrado, achavam-se postadas as quatro companhias do batalhão.

Ahi foi lida pelo secretario do corpo a seguinte ordem do dia :

Quartel do commando do 1º batalhão de infantaria, em Porto Alegre, 22 de outubro de 1916.

ORDEM DO DIA N. 296

Para conhecimento do batalhão e devida execução publico o seguinte.:

ANNIVERSARIO DO BATALHÃO

Completou hontem 24 annos de existência este batalhão.

Este facto é, para mim, como deverá ser para todos vós, de alta relevancia, por que a sua organização surgiu para garantia das autoridades constituídas e para manutenção da ordem que ameaçava alterar-se no Estado. Assim é que no dia 21 de outubro de 1892, foi decretada a organização deste corpo a que temos a felicidade suprema de pertencer.

Em consequencia de uma agitação bastarda de políticos aventureiros, sobreveio a revolução que se prolongou por espaço de 2 annos e meio. Nessa lucta tremenda e brutal esta corporação sempre soube conduzir-se valorosamente, patenteando uma firmeza inquebrantavel nas suas acções, assombrando o proprio adversário e pasmando suas companheiras em lucta, as quaes viam neste batalhão galhardo, bizarro, extraordinário mesmo, não só um batalhador infatigavel como tambem um baluarte da Republica ameaçada nos seus primeiros passos. Saibamos, camaradas, enobrecer cada vez mais o nome glorioso desta unidade que nunca, em um dia siquer, se afastou da senda do dever!

Aproveitando, pois, este momento agradabilissimo em que nos achamos reunidos todos para o mesmo fim, congratulo-me com os srs. officiaes, inferiores e praças, registrando aqui um voto de saudades aos antigos companheiros que fizeram parte da organização deste corpo.

Em commemoração, pois, a esta grandiosa data, dou liberdade a todas as praças que se acharem presas correccionalmcnte á minha ordem. Salve 21 de outubro! (Assignado) Francellino Rodrigues Cordeiro, tenente-coronel.

Após esta leitura dirigiu-se então, o coronel Francellino aos seus commandados e, em brilhante prelecção moral, a cada passo entrecortada de aplausos, fez-lhes sentir o alcance significativo da commemoração que praticavam, falando assim durante um quarto de hora sobre o Dever nas suas diversas modalidades, conseguindo impressionar profundamente todos os que o ouviam pelo

a proposito dos conceitos emittidos.

Ao terminar sua bella prelecção, foi o commandante Francellino vivamente felicitado pela oficialidade presente.

A esta foi servido depois um five ó clock tea no respectivo refeitorio, tendo sido consideravelmente reforçado o melhorado o rancho das praças.

Durante todos esses actos fez-se ouvir a banda de musica do corpo.

*Mantida a Grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 247, de 24/10/1916, terça-feira, página 3