A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Construção do trapiche da Brigada Militar

Correio do Povo, no dia 7 de agosto de 1910 noticiava:

Trapiche da Brigada – Já estão ultimadas as obras de construcção do trapiche da Brigada Militar, á rua 7 de Setembro. Os respectivos constructores, srs. Menezes & Bonotto, já receberam a importancia dessa obra (1:300$).

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Freiras que virão servir como enfermeiras no Hospital da Brigada Militar

Correio do Povo, no dia 6 de agosto de 1911, domingo, noticiava:

Hospital da Brigada Militar – Sabemos que a secretaria das Obras Publicas vae abrir concorrencia para a construcção de um edificio em terrenos do bairro do Crystal, destinado á residencia das freiras que virão servir como enfermeiras do Hospital da Brigada Militar. O Hospital da Brigada acaba de ser dividido em duas secções; uma de cirurgia, outra de medicina.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Serviço Militar em estabelecimentos de ensino secundário

Correio do Povo, no dia 4 de agosto de 1909, noticiava:

Gymnasio Santa Maria – O commando geral da Brigada Militar está autorisado a fornecer, por empréstimo, ao Gymnasio de Santa Maria, 100 fuzis para a instrucção militar dos alumnos.**

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.

 

** Refere-se à regulamentação da Lei nº 1.860, de 04 de janeiro de 1908, que “Regula o alistamento o sorteio militar e reorganiza o Exercito”, estabelecendo:

TITULO VII

DISPOSIÇÕES GERAES

Art. 98. E’ obrigatoria a instrucção do tiro de guerra e evoluções militares, até á escola da companhia, aos alumnos maiores de 16 annos que cursarem as escolas superiores e estabelecimentos de instrucção secundaria mantidos pela União, pelos Estados ou municipios, inclusive o Districto Federal, bem como aos que cursarem estabelecimentos particulares que estiverem no goso da equiparação.

No regulamento que expedir para a execução desta lei, o Governo providenciará no sentido de ser cumprida, cabalmente, a obrigação imposta pelo presente artigo, indicando, ao mesmo tempo, a fórma segundo a qual a medida será posta em pratica nos estabelecimentos de ensino supra enumerados.

Paragrapho unico. Os ex-alumnos de taes estabelecimentos e os do Collegio Militar, que houverem concluido os respectivos cursos, servirão tambem apenas tres mezes, por occasião das manobras, sendo dispensados da incorporação quando sorteados. Não estão incluidos na disposição da lettra a do art. 65 os voluntarios de tres mezes.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Seções de metralhadoras dos Corpos da Brigada Militar – exame

A Federação, no dia 02 de agosto de 1916, quarta-feira, noticiava:

 Exame das secções de metralhadoras dos Corpos da Brigada Militar – O nosso amigo tenente-coronel Affonso Emilio Massot, fez baixar, hoje, sob o número 82 a seguinte ordem do dia:

Exame das secções de metralhadoras dos corpos – Serão submetidas a exame as secções de metralhadoras dos corpos que que se acham no Grupo recebendo instrucção.

Esse exame, que terá a assistência dos srs. Comandantes de corpos, começará amanhã, quinta-feira, ás 14 horas, e continuará sexta-feira, ás 9 horas, obedecendo ao seguinte programma:

Parte I – Nomenclatura, montagem e desmontagem da metralhadora. Nomenclatura das armas (clavina, revolver ou sabre) de defesa individual.

Manuseio e funcionamento da metralhadora e machina de carregar.

Interrupções ocasionadas no tiro, suas causas e meio de corrigil-as.

Precauções a tomar, antes, durante e depois do tiro.

Ferramenta de urgencia e sua utilização.

Arreiamento e modos de arreiar. Reparo do rodado e modo de atirar.

Parte II – Instrucção moral. Noções de topografia. Orientação de dia e de noite.

Leitura de cartas. Transmissão de ordens. Avaliação de distancias pelos diversos processos, sem e com apparelhos.

Noções de tiro. Designação de objetivos e pontaria. Diversas espécies de tiro, seus efeitos e emprego. Propriedades geraes das metralhadoras.

Emprego táctico das metralhadoras. Conducta do fogo. Acção dos chefes durante o fogo.

Remuniciamento.

Parte III – Manejo para o fogo e evoluções.

Parte IV – Reconhecimento, escolha e occupação da posição, rompimento do fogo, de conformidade com a situação dada em thema.

Parte V – Material de sapa e sua utilização. Typos de entrincheiramentos rapidos e modo de occupal-os.

Parte VI – Tiro sobre alvos.

(Assignado)

Affonso Emilio Massot, tenente-coronel.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, Ano XXXIII, edição 178 de 02/09/1916, quarta-feira, página 6

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Metralhadoras adquiridas pela Brigada Militar

Correio, no Povo do dia 2 de agosto de 1913, sábado, noticiava:

Metralhadoras para a Brigada

O Estado Maior da Brigada organizou um programma para as experiencias a serem feitas com as metralhadoras recentemente chegadas para os corpos dessa milícia. As experiencias serão feitas
na linha de tiro da Chacara das Bananeiras.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Coluna “Há um século no Correio do Povo”.