A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exercícios de tiro realizados com o aparelho “Sub Target”

A Federação, no dia 29 de maio de 1916, domingo, noticiava:

Do Boletim de hoje, da Brigada Militar

Exercício de tiro – O capitão diretor da linha de tiro, deposito de recrutas e picadeiro, enviou a este comando, em 27 do corrente, o officio do teor seguinte: “Estado do Rio Grande do Sul – Depósito de Recrutas – N. 73 – Porto Alegre, 27 de maio de 1916 – Sr. Tenente coronel Affonso Emilio Massot d.d. comandante geral da Brigada Militar – Incluso remeto-vos o mappa com o resultado obtido por uma turma de recrutas que atirou pela primeira vez com cartucho de guerra, tendo antes recebido licções de pontaria na “Sub Target”. Da porcentagem obtida com o exercício de tiro neste aparelho, para a do tiro de guerra, apenas houve a diferença de 4% para menos. O recruta obtem com a “Sub Target” os conhecimentos precisos para fazer uma boa pontaria e quando passa para o tiro de guerra, apenas familiariza-se com o estampido e o recuo, conseguindo, então, a mesma porcentagem sem mais dar trabalho ao instructor. Eis o optimo resultado da minha experiência. Saude e fraternidade – José Rodrigues Sobral, capitão.

A turma de recrutas a que se refere o officio acima transcripto, composta de 16 homens, nos exercícios realizados com o aparelho “Sub Target” conseguiu 84% e, passando ao tiro de guerra conseguiu logo no 1º exercício 80%.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXIII, edição 121, de 26/05/1916, página 7 – *mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Gripe epidêmica no 1º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar

A Federação, no dia 29 de maio de 1916, domingo, noticiava:

Do Boletim de hoje, da Brigada Militar:
O capitão dr. chefe do serviço Sanitário enviou ao tenente-coronel commandante geral o officio abaixo transcrito: “Estado do Rio Grande do Sul. Hospital da Brigada Militar em Porto Alegre, 26 de maio de 1916. Nº 152. Ao Ilmo sr. Tenente-coronel Emilio Massot. M.D. commandante geral da Brigada do Estado. Tendo tomado rigorosas providencias contra a gripe de caracter epidemico e formas varias, que nos primeiros dias deste mez grassou no primeiro batalhão, motivando repetidas baixas de praças ao nosso Hospital, cumpro o grato dever de participar-vos que cessaram ellas completamente. Fiz proceder a cuidadosa desinfecção nos diversos compartimentos do respectivo quartel e providenciei para que se fizesse o mesmo com os colxões e travesseiros no Desinfectorio da Hygiene Estadoal, o que se realizou. Os senhores medicos da Hygiene, illustre drs. Ricardo Machado e Alberto de Campos Velho, a quem foi comunicada a invasão da moléstia, visitaram o referido quartel, onde os recebi com os demais medicos da Brigada, conferenciando e trocando ideias sobre o assumpto, aos quaes expuz modificações a fazer por mim indicadas em relaltorio enderessado a vossa autoridade, como necessarias para melhorar as condições hygienicas desse edificio. Saude e Fraternidade. (Assignado) dr. Armando Bello Barbedo. Chefe interino.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXIII, edição 123, de 29/05/1916, página 7 – *mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … Estudos para uma estrada de rodagem construída pela Brigada Militar

Correio do Povo, no dia 28 de maio de 1916, domingo, noticiava:

Estrada de rodagem de Porto Alegre a Bagé – Ha dias, que o governo do Estado cogitava da construcção de uma grande estrada de rodagem, que deveria ligar Porto Alegre á Bagé. Agora, por ordem do governo do Estado, acha-se naquella cidade, o dr. Virissimo de Mattos, director da Directoria de Viação Terrestre da Secretaria de Obras Publicas, acompanhado do engenheiro J. R. Riff, que estão procedendo aos estudos necessários para a projectada estrada. Segundo plano traçado, a estrada deverá partir da Barra do Ribeiro, 9º districto deste município, passando por S. João de Camaquam, Cangussú, Piratiny, Pinheiro Machado e Bagé. A sua extensão será de cem leguas, aproximadamente, e, segundo ouvimos, a estrada será construida por praças da Brigada Militar.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 121 – Nº 241 – PORTO ALEGRE, SÁBADO, 28 DE MAIO DE 2016 – Coluna “Há um Século no Correio do Povo”.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Iluminação elétrica da Chácara das Bananeiras

A Federação, no dia 26 de maio de 1916, sexta-feira, noticiava:

Illuminação Electrica da Chacara das Bananeiras

A visita oficial ao quartel da Brigada Militar e á usina electrica do Manicomio do Parthenon

Em novembro de 1915 o comando da Brigada Militar deste Estado publicou um edital chamando concurrencia para a execução da illuminacão electrica na Chácara mencionada. Foi tomado como base a installação de uma usina própria no terreno da Brigada. Na concorrência tomaram parte as firmas Alliança do Sul e Lima & Martins.

A primeira apresentou um orçamento na importância de 23:850$000, contra 22:870$000 da segunda.

Antes da assignatura do contracto as propostas foram submettidas a um estudo na secretaria das obras públicas, sendo ao mesmo tempo pelo sr. dr. Theophilo de Barros ventilada a questão da possibilidade da conducção da energia da Uzina existente no Hospício S. Pedro até a Chacara referida (uma distancia de cerca de 1.500 metros).

Tomando como base um novo projecto elaborado pela Alliança do Sul, e no qual foi considerado o aproveitamento do motor existente no Hospício S. Pedro como machina impulsora, foi annullada a primitiva concurrencia, sendo marcado um novo prazo para apresentação de propostas.

Na segunda concurrencia só tomou parte a Alliança do Sul, sendo a esta empreza confiada a execução das obras.

Hontem, em presença dos nossos amigos general Salvador Pinheiro Machado, illustre vice-presidente do Estado em exercício, coronel Affonso Emilio Massot, commandante da Brigada Militar, e do dr. Theophilo de Barros, engenheiro representante das obras publicas, de diversos officiais da Brigada e outros cavalheiros bem como dos engenheiros srs. Otto Weinstein e Jahir Sgrillo e o sr. Affonso Beck, estes ultimos representantes da firma mencionada, foi inaugurada a nova instalação, fazendo-se diversas experiências que deram os resultados os mais satisfactorios.

Em vista da distancia bastante grande para transmissão da corrente continua, da Uzina até o lugar de consumo, a installação foi executada pelo systema trifilar, com fio neutro em contacto com a terra. Dois pequenos dynamos de 4 KW cada um, trabalham em série, tendo-se com o emprego de um fio conductor de secção relativamente pequeno obtido uma perda de carga dentro dos limites admitidos. Os dois fios externos têm contacto com a terra, elles são alimentadas com 220 volts. A instalação deve pois, ser considerada sob todos os pontos de vista como de baixa tensão.

O impulso dos dynamos é feito por meio de uma correia de algodão da marca “Oxylo”, que trabalha como sem fim, distinguindo-se pela sua grande flexibilidade, sendo pois muito recommendavel para o impulso de machinas electricas em que o funccionamento suave é uma exigência principal.

Nas diversas dependências da Chacara das Bananeiras funccionam  no total 127 lampadas. Os instrummentos no quadro de distribuição mostraram que os dynamos ainda não estão carregados com a metade da energia que podem produzir, de fórma que existe uma regular reserva para um augmento no futuro.

Além da simplicidade da instalação, ainda offerece ella a vantagem do ser 9:000$000 mais barata, em relação ao preço orçado no projecto primitivo; tambem deve constatar-se que com o gasto de combustivel e de pessoal se obterá annualmente uma economia de cerca de 12:000$000.

O dr. Theophilo de Barros, ilustre engenheiro das obras publicas, e a firma Alliança do Sul, foram muito cumprimentados pela feliz solução que deram ao problema.

Para assistir o funcionamento das machinas aquella comitiva official esteve, depois de visitar as diversas dependências do quartel das Bananeiras, no Hospicio S. Pedro.

Nesse estabelecimento, o general Salvador Pinheiro Machado e o coronel Affonso Massot e as demais pessoas foram recebidas pelos nossos amigos drs. Deoclecio Pereira, illustre director do Hospicio S. Pedro e Carlos Penafiel, medico do mesmo manicomio e pelo sr. Antonio Viveiros, administrador, e outros funccionarios.

Na usina do manicômio do Parthenon, o general Salvador, depois de assistir o funccionamento das machinas, teve occasião de manifestar aos presentes a agradável impressão que lhe causara a boa disposição do novo serviço inaugurado.

Fonte: Jornal A Federação, ano XXXIII, edição 121, de 26/05/1916, página 7 – *mantida a grafia da época

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Batalha de Tuiuty – comemoração

Correio do Povo, no dia 24 de maio de 1912 noticiava:

Batalha de Tuiuty

Em commemoração a batalha de Tuiuty, a maior victoria das armas brasileiras na guerra contra o Paraguay, o coronel Cypriano Ferreira, comandante da Brigada Militar, determinou que não haja expediente, hoje, nos quarteis daquella força.
Pela madrugada, as bandas de musica tocarão alvorada defronte aos seus quartéis.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 117 – nº 237 – PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, de de maio de 2012 – Coluna “Há um século no Correio do Povo”

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Libertação dos Escravos no Brasil – Comemoração

O Correio do Povo, no dia 13 de maio de 1916, sábado, noticiava:

13 de maio – O dia de hoje é feriado nacional, consagrado á commemoração do anniversario da Libertação dos Escravos no Brasil. Por esse motivo, as repartições publicas e as casas bancarias não darão expediente. O commercio fechará suas portas mais cedo. Em commemoração á data, haverá um festival na Associação Christã de Moços. A convite da directoria dessa agremiação, o illustre
escriptor patricio Alcides Maya realizará, em sua séde, uma conferencia sobre a data. A festa iniciar-se-á às 20 horas. As bandas de musica e de corneteiros dos corpos da Brigada Militar deverão tocar alvorada em frente aos respectivos quartéis.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – ANO 121 – Nº 226 – PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2016.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Exercício do 3º Batalhão de Infantaria da Brigada Militar

O Correio do Povo, no dia 12 de maio de 1911 noticiava:

Exercícios militares

O 3º batalhão de infantaria da Brigada Militar fez, hontem, uma marcha, como prova de resistencia, saindo do seu quartel á 1 hora da tarde. Aquelle corpo ia commandado pelo tenente-coronel Aristides da Camara e Sá, servindo de fiscal o capitão Leopoldo Ayres de Vasconcellos e de ajudante o tenente Olympio Santo. O 3º batalhão, ao passar pela estrada de rodagem em construcção em Belém Velho, fez alto, sendo inaugurado, nesse momento, pelo contratante, tenente-coronel Mauricio de Almeida, um trecho daquella via de communicação. O tenente-coronel Mauricio offereceu, aos officiaes e ás praças do batalhão, bebidas e doces. Foram tiradas varias photographias.

*Mantida a grafia da época

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 116 – Nº 224 – PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 12 DE MAIO DE 1911.

 

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Acidente com automóvel do Hospital da Brigada Militar

Correio do Povo do dia 9 de maio de 1912, quinta-feira, noticiava:

Desastre por automovel – Ante-hontem, ás 4 1/2 horas da tarde, partiu da estação da estrada de ferro da Tristeza, o automovel que a Brigada Militar possue para o serviço de seu hospital, situado no Crystal. Além do chauffer, viajavam no automovel o dr. João Guilherme Ferreira, cirurgião dentista da Brigada, e duas praças. Ao chegarem emfrente ao Asylo de Mendicidade, seguia pela estrada um peão do general Salvador Pinheiro Machado, montado em um cavallo e conduzindo, a cabresto, dois outros animaes de raça. A approximação do automovel, os cavallos assustaram-se e dispararam, sendo o seu conductor cuspido fóra do animal, caindo entre os trilhos, ao longo destes, e muito perto do automovel, que se approximava, e que lhe passou por cima do corpo. Parado, rapidamente o vehiculo foi verificado estar aquelle peão com uma excoriação no lado direito da cabeça. Conduzido para o hospital da Brigada, ali lhe foi pensado o ferimento.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 117 – Nº 222 – PORTO ALEGRE, QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – 1º Regimento de Cavalaria da Brigada Militar combate ao contrabando, em Jaguarão

Correio do Povo do dia 09 de maio de 1908 noticiava:

Força da brigada militar – No vapor Brazil, seguirão amanhã, com destino a Jaguarão, 23 praças do 1º regimento de cavallaria da brigada militar, sob o commando do alferes João de Azevedo Machado. Essa força ficará naquella cidade á disposição do capitão Santos Filho, inspector fiscal da repressão do contrabando.

*Mantida a grafia da época.

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 113 – nº 222 – PORTO ALEGRE, 9 DE MAIO DE 1908.

A BRIGADA, HÁ UM SÉCULO … – Banda de música especial da Brigada Militar – Instrumental encomendado em Paris

Correio do Povo do dia 8 de maio de 1911 noticiava:

Bandas da Brigada

Consta-nos que já foi assignado, pelo presidente do Estado, o decreto creando a banda de musica especial da Brigada Militar. Dirigil-a-á o professor Pedro Borges, com a graduação de alferes. O governo do Estado já encommendou, para Paris, instrumental destinado á banda do 1º regimento de cavallaria.

*Mantida a grafia da época.

08 05 2016 - banda da bm

Banda da Brigada Militar

 

Fonte: Jornal Correio do Povo – Ano 116 – Nº 220 – Porto Alegre, domingo, 8 de maio de 2011